Home / Notícias / Cultura / Novela da lanchonete do terminal pode estar perto do fim

Novela da lanchonete do terminal pode estar perto do fim

Foto: Everson Santos


 

Os araucarienses já estão cansados de tanta embromação quando o assunto é a lanchonete, ou melhor, a falta dela, dentro do Terminal Rodoviário Central de Araucária. A novela vem se arrastando desde 2010 quando, por problemas políticos, o então permissionário do espaço perdeu a concessão de uso. Desde então, a lanchonete nunca mais abriu. Volta e meia aparece algum usuário do transporte coletivo reclamando do assunto e cobrando o porquê de a Prefeitura não reabrir a lanchonete, já que no terminal existem espaços disponíveis para isso. As pessoas pedem a retomada do serviço porque muitas vezes chegam a ficar por longos minutos aguardando o ônibus e sentem falta de um local para comprar um salgadinho, um doce ou uma bebida.

A a Superintendência de Transporte Coletivo de Araucária explicou que já existe um projeto em andamento na Secretaria Municipal de Planejamento para a construção de um novo local dentro do terminal, que deverá abrigar uma lanchonete e também uma casa lotérica, já que no espaço antigo, um processo de reforma não foi concluído, e existe a possibilidade de sua utilização por parte do setor administrativo. “O Objetivo é de que no próximo ano tenhamos uma resposta positiva para a população, principalmente porque, com a saída da Feira Gastronômica da área do terminal, prevista para janeiro próximo, as opções serão ainda menores”, esclareceu o superintendente Wilmer Jacó da Silva.

Segundo ele, a Prefeitura também planeja instalar uma lanchonete e uma casa lotérica no Terminal da Vila Angélica, onde diariamente circulam milhares de passageiros. Porém, pelo fato de o Município ter apenas a concessão de uso do espaço, que é vinculado ao governo do Estado, depende da renovação do contrato junto à Comec.

Publicado na edição 1142 – 06/12/18

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*