Home / Notícias / Esporte / Araucariense vai disputar a Liga Nacional de Futsal

Araucariense vai disputar a Liga Nacional de Futsal

O jogador assinou contrato com o Carlos Barbosa, um dos maiores clubes de futebol de salão

O jogador assinou contrato com o Carlos Barbosa, um dos maiores clubes de futebol de salão


Com apenas 11 anos de idade, o jovem araucariense Rafael Balduíno Stocker, hoje com 19, começou a jogar futebol. Ele, que é morador do Santa Eulália, assim como a maioria dos meninos, sempre foi apaixonado por futebol de campo e se arriscou na modalidade, se destacando inclusive em algumas competições. Mas, foi no futsal que ele se encontrou e começou a correr atrás do sonho de ser um grande jogador.
Apesar da pouca idade, já tem uma longa trajetória no esporte. Defendeu diversas equipes como Araucária, Monte Sião de Paranaguá, Coritiba Futsal, São José dos Pinhais e seu clube atual era o Guaíba no Rio Grande do Sul. Por ter se destacado no campeonato gaúcho de 2016, sendo um dos artilheiros do time, Rafinha assinou contrato com o Carlos Barbosa, cidade que fica há cerca de 2 horas de Porto Alegre. O clube é um dos maiores de futebol de salão do país.
Nos próximos dias Rafael embarca novamente para o Rio Grande do Sul e dia 20 se apresenta na equipe para iniciar os trei­nos. “Assinei contrato de 1 ano, mas pretendo ficar mais tempo por lá”, destaca o alteta.
Pela Liga Nacional, o pivô, que tem 1,86m de altura, entrará em quadra para jogar contra grandes times do Brasil como, por exemplo, Corinthians, Magnus e Atlântico de Erechim. Além deste campeonato, também irá disputar o Gauchão, a Taça Brasil, Libertadores, Mundial, Sul Americano e um Torneio no Qatar.
Para o futuro, o jogador sonha em crescer cada vez mais no esporte, conquistar espaço e quer jogar na seleção brasileira e também fora do país. “Primeiro quero fazer uma boa temporada no Carlos Barbosa e ajudar o time a conquistar títulos, para depois pensar nisso”, diz.
Apesar de ser muito jovem, o jogador demonstra muita maturidade, tanto dentro quanto fora das quadras. Rafael fala sobre as dificuldades que encontrou até se tornar profissional e que em alguns momentos pensou até em desistir. “Foi muito difícil, mas meu sonho sempre falou mais alto. Batalhei muito para chegar até aqui. Sempre contei com o apoio e incentivo dos meus pais e isso foi fundamental nas minhas conquistas”, diz.
Foto: divulgação

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*