Home / Notícias / Geral / Cavaletes publicitários atrapalham pedestres

Cavaletes publicitários atrapalham pedestres

Cavaletes atrapalham não apenas os pedestres, mas os motoristas também. Foto: Everson Santos

 

O excesso de cavaletes publicitários de comércios, espalhados pelas calçadas de Araucária, tem irritado os pedestres. Eles reclamam de terem que ficar desviando das placas e também da poluição visual que elas representam. O problema se agrava nos locais onde as placas acabam não só atrapalhando, mas obstruindo a passagem. “Isso é um grande desrespeito com a população, porque é praticamente impossível transitar pelas calçadas, a gente tem que usar a rua”, relatou uma senhora que não quis se identificar.

Outra pessoa disse não entender qual a real necessidade de um comércio colocar uma placa na calçada, já que existem outros meios bem eficazes de divulgar seus serviços. “Eles deviam ser multados, isso sim, ou usar de criatividade para vender sua imagem sem prejudicar as demais pessoas”, reclamou.

Se para os pedestres os cavaletes publicitários atrapalham, para os motoristas a situação não é diferente. Alguns chegaram a afirmar que precisam lutar para desviar a atenção das placas ou qualquer outro anúncio publicitário instalado no canteiro central ou nas calçadas. “Às vezes me pego lendo as placas, e isso é um perigo porque acaba tirando o foco do trânsito”, diz um dos motoristas.

Sobre o problema, a Secretaria Municipal de Urbanismo informou que as fiscalizações ocorrem toda semana e são recolhidos os materiais em desacordo com a Lei 2159/2010 – art. 358. As comunicações sobre este tipo de situação podem ser realizadas via Ouvidoria: 0800-643-1550 (ligação gratuita) ou via e-mail: ouvidoria@araucaria.pr.gov.br. O responsável é notificado e pode receber multa de até R$ 2 mil por cavalete.

Publicado na edição 1142 – 06/12/18

Sobre Redação

Redação

One comment

  1. e quando eles fazem sua 2ª entrada,quebram a calcada,tiram vag a de carro e impermeabilizam todo seu terreno com calçada pode?

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*