Home / Notícias / Geral / Filas em laboratórios lideram reclamações

Filas em laboratórios lideram reclamações


Foto: divulgação

 

A imagem de uma recepção lotada, com pacientes de pé, e filas de espera enormes, já se tornaram comuns no Laboratório Municipal de Araucária. As dificuldades começam já na hora do agendamento dos exames. Alguns usuários afirmam que estão aguardando a marcação há mais de dois meses, e quando ligam para pedir informações nas unidades básicas dos seus bairros, ou mesmo na Secretaria de Saúde, não conseguem atendimento ou uma resposta. Outros pacientes alegam que, além de acordar de madrugada, ter que enfrentar filas gigantes no Laboratório Municipal, quando conseguem ser atendidos, são encaminhados para um laboratório terceirizado, onde as filas também andam enormes.

Uma usuária conta que fez uma consulta no dia 1º de março e informaram que até o dia 15 deste mesmo mês, retornariam para marcação de exames, e explicaram que a espera de duas semanas seria porque a Prefeitura estaria implantando mudanças no sistema. “Já se passaram mais de dois meses e nada de retorno. Pra ajudar, o telefone do posto de saúde do meu bairro não atende e quando liguei na Secretaria de Saúde, a atendente disse que isso não era da alçada deles. Agora pergunto: seria competência da Secretaria de Obras?”, reclamou, em tom irônico. Ela disse ainda que, por ser ter feito cirurgia bariátrica, precisa fazer exames de rotina a cada seis meses, e em função dessa demora na marcação, os mesmos já estão bem atrasados.

Outra paciente também alegou que está indignada com a fila gigante que precisou enfrentar no dia em que foi levar a filha para fazer exames no laboratório terceirizado, pois havia pessoas passando mal em função do tempo que estavam ali aguardando, em jejum. “Não sei qual o problema em Araucária, parece que a saúde da população é o que menos importa para a administração. Não sei até quando iremos suportar tudo isso!”, desabafou.

Interpelada sobre o problema, a coordenadora do Departamento de Atenção Especializada, Carolina de Almeida Torres, informou que o Laboratório Municipal voltou a realizar a coleta e análise de grande parte dos exames, e que a maioria dos insumos que foram licitados já foi entregue no laboratório, permitindo que a rotina seja retomada gradativamente. Explicou também que alguns exames necessitarão de maior tempo para regularização porque dependem de um novo processo licitatório, de aproximadamente 80 itens.

Ainda de acordo com o departamento, mesmo com a falta, o laboratório está realizando 80% dos testes de rotina. Com relação aos laboratórios credenciados, é um credenciamento que existe para dar vazão, respeitando a relação custo benefício do município.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1163 – 16/05/2019

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*