Maria Fumaça pode ser reativada em Araucária | O Popular do Paraná
Home / Notícias / Geral / Maria Fumaça pode ser reativada em Araucária

Maria Fumaça pode ser reativada em Araucária

Estação ferroviária da Chapada será reativada e servirá de ponto de partida, se a proposta for mesmo implantada

 

A volta da Maria Fumaça em Araucária, que circulou entre os anos de 1993 e 1996, pode se tornar uma realidade. A proposta foi apresentada ao Município em fevereiro deste ano pelo diretor do Departamento de Turismo da Lapa, Márcio Assad, e endossada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN. A ideia ficou ainda mais forte após a realização recente da I Semana Paranaense de Memória Ferroviária, quando vários órgãos e entidades ligados ao setor se reuniram e levantaram um debate em torno da questão. Também no evento outro passo importante foi dado nesse sentido, com a homologação de uma carta que prevê a criação de Conselho Estadual para preservar e exaltar a história férrea.

Kalil Assad, historiador do Instituto Histórico e Geográfico do Paraná, ressalta que o Conselho dará suporte para as ações dos municípios, do estado ou do governo federal relacionadas à preservação da memória ferroviária. Ou seja, a tudo o que está relacionado com a história da ferrovia, incluindo a história imaterial. “Eu, como historiador, classifico a memória ferroviária de forma mais abrangente do que aquela visão de um trem nos trilhos. A ferrovia no Brasil afetou diretamente a vida de várias pessoas. Cidades inteiras viviam em torno da ferrovia”, completa.

Márcio Assad explica que, além da Maria Fumaça, existe a proposta de implantar a linha chamada Litorina. Num primeiro momento o embarque de passageiros seria em Araucária, na estação da Chapada, que hoje se encontra desativada. A viagem com partida em Araucária e chegada na Lapa, duraria cerca de uma hora e meia. A linha passaria pela localidade de General Lúcio, que também está desativada hoje.

“Seria uma maneira de reativar o turismo férreo, envolvendo as cidades de Araucária, passando pelas localidades de General Lúcio e Guajuvira, e a Lapa”, explicou. Segundo ele, no Paraná, Araucária poderia se transformar no primeiro Centro de Memória associado ao Centro de Memória Ferroviária da Lapa, o que hoje já é uma para a cidade gaúcha de Santa Maria. “O projeto é ambicioso, mas não demandaria de custos muito elevados, apenas pesquisas, articulações e boa vontade. Além de incrementar o turismo nas regiões por onde o trem vai passar, impulsionaria a preservação da rede ferroviária”, reiterou.

No passado, o trem de passageiros foi importante para a economia

Interesse existe

O secretário de Cultura de Araucária, Eduardo Tavares, disse que as discussões em torno do assunto já estão bem avançadas, mas não há como estabelecer prazos porque o assunto envolve muitas pesquisas e ações e a concretização não depende somente do Município. “Temos muito interesse em reativar o turismo férreo, isso aqueceria o setor, mas ainda teremos muitas reuniões pela frente para alinhar as ideias e propostas de todos os órgãos envolvidos”, disse o secretário.

Ele acrescentou que como primeira ação concreta, a cidade está fazendo um minucioso trabalho de pesquisa, através do Arquivo Histórico Archelau de Almeida Torres, que é vinculado à Secretaria Municipal de Cultura e Turismo. “Estamos organizando fotos e documentações existentes sobre o assunto, entrevistando pessoas que na época trabalharam nas estações férreas de Araucária e moradores”, explicou.

Eduardo ressaltou que ainda como parte do projeto existe a possibilidade de ser criado em Araucária um Centro Cultural, que ficaria no ponto de embarque de passageiros, e concentraria os trabalhos dos artesãos locais, para exposição e venda. “Mas tudo isso que descrevemos depende de estudos e captação de recursos junto às empresas privadas. Envolve a revitalização das estações, desapropriação de famílias que hoje vivem na área, entre outras questões”, pontuou o secretário, lembrando ainda que todo o estudo que já em sendo feito tem o respaldo do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural do Município.

História

Segundo dados do Arquivo Histórico, a estação de General Lúcio foi uma importante passagem de trens de passageiros até a década de 1980, quando estes foram extintos, restando somente os trens de carga. Embora ainda passem trens de carga pela linha da região, em 1998 a estação foi desativada e assim permanece até os dias atuais, servindo de moradia improvisada para algumas famílias.

Em 1993, para relembrar o tempo dos trens de passageiros, a Rede Ferroviária Federal S.A. lançou um roteiro turístico de Maria Fumaça que acontecia no primeiro domingo de cada mês. O passeio tinha como ponto de partida a Estação Ferroviária de Curitiba, pela manhã, e passava por Araucária, Balsa Nova e por fim o município da Lapa. Ao passar por Araucária era realizada uma parada na Estação de General Lúcio, onde havia exposição e comércio de artesanato rural, produzido por moradores do município, em colaboração com a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e com a Emater. O roteiro, no entanto, não durou muito tempo, tendo funcionado somente até o ano de 1996.

 

Texto: Maurenn Bernardo / Foto: Marco Charneski e divulgação

Sobre Redação

Redação

DEIXE UM COMENTÁRIO

Seu endereço de email não será publicado. Os campos requiridos são marcados com *

*