Home / Notícias / Geral / Moradores de Araucária pagarão mais caro pela água a partir de junho. Também haverá mudanças na “tarifa mínima”

Moradores de Araucária pagarão mais caro pela água a partir de junho. Também haverá mudanças na “tarifa mínima”


A Sanepar vai aplicar em reajuste médio de 8,53% na conta de água dos clientes de Araucária e de todo o Paraná. O reajuste extra já poderá ser notado na fatura de junho e foi autorizado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar), órgão do Governo do Estado, em abril deste ano.

O aumento de 8,53% em todas as contas de água não faz parte daquela tradicional revisão anual obrigatória dos valores cobrados pela Sanepar. É, na verdade, um reajuste extra aprovado pela Agepar sob o argumento de que, sem ele, não seria possível manter o equilíbrio econômico-financeiro da Sanepar.

Conforme resolução da Agência Reguladora do Paraná, a manutenção da saúde financeira da Sanepar careceria de um reajuste nas contas de água da ordem de 25,63%. Para que o aumento não fosse aplicado numa pancada só, a Agepar autorizou a implantação da porcentagem em oito parcelas anuais. A primeira de 8,53% será aplicada no mês que vem e as demais, de 2,11%, ao longo dos próximos sete anos.

Taxa Mínima cai pela metade

Outra mudança autorizada pela Agepar na mesma resolução que aplicou o reajuste de 8,53% foi a redução do volume mínimo de água que cobra mensalmente de consumidores residenciais. Antes, a chamada tarifa mínima era de dez metros cúbicos e agora passa para cinco. Na prática, o que acontece é que, se o cliente da Sanepar gastasse um ou dez metros cúbicos de água por mês ele pagava o mesmo valor. Agora, a partir do sexto metro cúbico ele já passa a pagar outro valor.

A resolução da Agepar também autorizou a criação de novas faixas de consumo. Antes, eram apenas três: a mínima até 10m3, uma segunda de 11 a 30m3 e a terceira acima de 30 metros cúbicos. Agora, elas são seis: a mínima até 5m3, de 6 a 10, de 11 a 15, de 16 a 20, de 21 a 30 e maior que 30 metros cúbicos.

Até então, existiam três faixas de consumo residencial…

 

…agora são seis faixas

Sobre Waldiclei Barboza

Waldiclei Barboza
Waldiclei Barboza é jornalista da editoria de Política de O Popular do Paraná desde 2005. Sempre às quintas-feiras, publica neste espaço e na edição impressa de O Popular uma Coluna sobre o dia a dia da política local.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*