Tabacarias são alvo de fiscalizações | O Popular do Paraná
Home / Notícias / Geral / Tabacarias são alvo de fiscalizações

Tabacarias são alvo de fiscalizações

Presença de menor em tabacaria pode render multa ao proprietário

 

As tabacarias de Araucária estão sendo alvo de fiscalização do Conselho Tutelar e do Ministério Público, que somente neste mês já receberam cinco denúncias com relação a estes estabelecimentos, que vão desde o funcionamento sem alvará até a presença de menores em desacordo com a Lei. O promotor da Infância e da Juventude de Araucária, David Kerber de Aguiar, explica que o Estatuto da Criança e do Adolescente e a Portaria Conjunta da Vara da Infância e Juventude e Ministério Público de Araucária (nº 02/2015) vedam a venda, a crianças e adolescentes, de produtos que possam causar dependência ou sejam nocivos à saúde. “A presença de crianças e adolescentes em ambientes onde se faz uso de narguilés ou similares, certamente atentam contra a saúde de crianças e adolescentes, por isso a proibição da permanência em tais locais”, esclareceu.

O promotor ressalvou que o Conselho Tutelar vem realizando fiscalizações nas tabacarias, sem aviso prévio. Se a transgressão for constatada, os proprietários respondem por Infração Administrativa às normas de proteção de crianças e adolescentes e estarão sujeitos a multa de três salários mínimos, sendo que em caso de reincidência, poderá ser determinado de três a 20 salários e o fechamento do estabelecimento.

“E caso ocorra a venda, poderá o comerciante ser preso em flagrante pelo crime do art. 243 do Estatuto da Criança e do Adolescente que proíbe vender, fornecer, servir, ministrar ou entregar, ainda que gratuitamente, de qualquer forma, à criança ou ao adolescente, bebida alcoólica ou, sem justa causa, outros produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica, sob pena de detenção de dois a quatro anos”, advertiu o promotor.

Conselho

Para evitar que casos assim aconteçam, o promotor da Vara da Infância e da Juventude aconselha os proprietários de tabacarias a observarem o Estatuto da Criança e do Adolescente, bem como a Portaria Conjunta da Vara da Infância e Juventude e Ministério Público, não autorizando a presença de crianças e adolescentes no interior dos estabelecimentos e não vendendo produtos que possam causar dependência química.

Segundo ele, desde o início do ano vem ocorrendo operações com o Conselho Tutelar visando apurar tais irregularidades, e as mesmas não tem prazo para cessar. “As fiscalizações já implicaram na autuação de dezenas de estabelecimentos, que foram multados pela prática de infração administrativa”, pontuou.

 

Texto: Maurenn Bernado / Foto: divulgação

Sobre Redação

Redação

DEIXE UM COMENTÁRIO

Seu endereço de email não será publicado. Os campos requiridos são marcados com *

*