Home / Notícias / Geral / Tráfego intenso na marginal atrapalha trajeto de coletivo

Tráfego intenso na marginal atrapalha trajeto de coletivo


De dentro do ônibus,
passageira filma congestionamento. Foto: divulgação

 

Usuários da linha Araucária/Pinheirinho estão irritados com as constantes paradas do coletivo, em função de congestionamentos no trecho da marginal da Rodovia do Xisto, próximo à empresa Cocelpa, no Jardim Alvorada. Segundo eles, os caminhões das empresas estacionam nos dois lados da via, atrapalhando a circulação dos ônibus e demais veículos.

“Os caminhoneiros trancam os dois lados da rua, é comum o ônibus não conseguir passar, e nós trabalhadores que temos horários a cumprir somos os principais prejudicados. Sem contar que é perigoso, os motoristas ficam fumando por ali, e se acontecer um incêndio ninguém consegue correr pra lado nenhum”, comentou a passageira Mari Oliveira.

A Superintendência do Transporte Coletivo de Araucária esclareceu que já pediu providências à Comec, que é quem define os itinerários dos ônibus metropolitanos, e também enviou pedido ao DNIT, por ser área de domínio deles. “No que cabe ao município, solicitamos à Secretaria Municipal de Urbanismo que fossem implantadas melhorias na sinalização na via, com relação aos caminhões estacionados, ainda assim, ficamos de mãos atadas porque não temos autonomia para multar, por ser área de responsabilidade da Polícia Rodoviária Federal. Talvez a solução mais plausível para o problema seja a construção de passarelas, para facilitar o acesso dos passageiros ao ponto de ônibus, caso o itinerário fosse alterado”, argumentou o superintendente Wilmer Jacó da Silva.

Interrogado sobre a questão, o DNIT justificou que nos segmentos de rodovia onde existe via marginal, por questões de segurança e fluidez do trânsito, os pontos de ônibus devem ser instalados nas vias marginais, que possuem características e velocidade operacional mais adequadas às manobras de desaceleração, parada e aceleração, inerentes ao transporte coletivo de passageiros.

O DNIT informou ainda que a construção de duas passarelas e adequação das vias marginais e passagens inferiores da BR-476/PR, entre o Km 147 e o Km 151, fazem parte de um projeto de adequação do segmento próximo à Repar, entretanto, em razão das restrições de orçamento impostas órgão pelo Governo Federal, não existe qualquer previsão ou pers­pectiva de recursos para a obra.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1158 – 11/04/2019

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*