Home / Notícias / Geral / Trânsito complicado em escola preocupa os pais

Trânsito complicado em escola preocupa os pais

Nos horários de entrada e saída dos alunos a disputa entre os carros e os pedestres é intensa

Nos horários de entrada e saída dos alunos a disputa entre os carros e os pedestres é intensa

O trânsito caótico em frente a Escola Municipal Archelau de Almeida Torres, no jardim Iguaçu, vem colocando em risco a segurança de crianças, pais e educadores, todos os dias, nos horários de entrada e saída dos estudantes. Alguns pais, preocupados com esta situação, entraram em contato com o Jornal Popular, na tentativa de sensibilizar os órgãos competentes a tomar alguma providência.

De acordo com os pais, além do intenso fluxo de veículos na rua Guanabara, no cruzamento com a avenida Archelau, por onde os alunos entram e saem, ainda é preciso conviver com os motoristas mal educados, que não respeitam as leis de trânsito e come­tem barbaridades quando estão no volante. “Tem motorista que se acha o dono da rua, estaciona em fila dupla, interrompe o trânsito, e acaba colocando em risco a segurança de todo mundo”, denunciou um dos pais.

Outro pai reclamou que nos horários de pico não existe nenhum agente de trânsito para orientar motoristas e pedestres. “Quando não tem ninguém fiscalizando, a tendência é virar uma bagunça”, comentou.

A diretora da escola, Maria Helena Grebos, explicou que já recebeu centenas de pedidos de pais para que se faça alguma coisa. “Já enviamos vários ofícios para a Secretaria de Urbanismo, fizemos muitas ligações telefônicas e o que eles alegam é que não há agentes de trânsito disponíveis para este serviço. “Eles justificam ainda que existem outros locais onde a presença dos agentes é mais urgente. Expliquei isso aos pais em várias reuniões, já não sabemos mais que providência tomar”, lamentou a diretora.

Em conversa

O secretário de Urbanismo, Elias Kasecker Junior, confirma que não existem agentes suficientes para atender os pedidos de todas as escolas, sendo que é das próprias a obrigação de organizar o trânsito em frente às ins­tituições. “O que podemos fazer é treinar uma pessoa da própria escola para exercer esta função nos horários de entrada e saída dos alunos. Porque é difícil agradar a todos, se não fiscalizamos, somos criticados por isso, se fiscalizamos, dizem que temos uma indústria de multas”, critica o secretário.

Segundo ele, os motoristas deviam se enquadrar às leis de trânsito e não viver na contramão das mesmas. “Vale lembrar que já estamos conversando com a Escola Archelau faz alguns dias para tentar chegar a um acordo. E volto a dizer que a solução mais viável no momento é treinar alguém da própria escola para ordenar o trânsito, educar pais e alunos a se comportar de acordo”, reiterou.

Sobre uma possível mudança nos portões, lembrando que a entrada e saída de vans se dá pela rua Ceará e dos demais veículos pela rua Guanabara, Elias disse que seria necessário um novo planejamento, mas diante da mudança de sentido da avenida Archelau, a mudança não seria assim tão simples.

FOTO: EVERSON SANTOS

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*