Home / Notícias / Geral / Três são presos e “lar” de idosos é fechado bem no Centro de Araucária

Três são presos e “lar” de idosos é fechado bem no Centro de Araucária

O “lar” de idosos Casa de Cuidados Vó Rita, que funcionava irregularmente na principal avenida de Araucária, a Victor do Amaral, foi fechado e os responsáveis pelo local presos na tarde desta sexta-feira, 1 de fevereiro.

Os presos são Daniel Alves, 39 anos, e Alan Machado da Silva Santana, 29 anos, que seriam os proprietários do estabelecimento e Amauri Inácio Junior, 28 anos, que exercia a função de cuidador de idosos no local. O trio recebeu voz de prisão da própria promotora de justiça da Promotoria de Defesa dos Direitos do Idoso, Juliana Gonçalves Krause, durante vistoria que realizava no “lar” ao lado de técnicos da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS).

Após a prisão em flagrante, o trio foi conduzido à Delegacia de Araucária, onde o delegado Tiago José Wladyka e sua equipe lavraram o auto de prisão em flagrante, encaminhando o caso à autoridade judiciária, a quem caberá decidir se decreta a prisão preventiva dos acusados ou os coloca em liberdade para responder aos crimes que lhes são imputados, como associação criminosa, abandono e exposição de idosos a perigo de sua integridade física e psíquica.

De acordo com informações da Secretaria de Assistência Social, o “lar” funciona nos fundos do numeral 1156 da Victor do Amaral, num imóvel locado que fica bem em frente ao prédio da antiga Sociedade Operária de Araucária (Soba). No local, havia nove pessoas, sendo sete idosas e duas portadoras de algum tipo de deficiência. A Casa Vó Rita já via sido interditada pela Vigilância Sanitária em outubro do ano passado, mas insistia em seguir funcionando.

Ainda conforme apurado pelo O Popular, as condições do local eram tão insalubres que os “internos” apresentavam feridas, piolhos e indícios de outras doenças de pele. O imóvel ainda estaria sem energia elétrica há dois dias, sendo que os mantimentos perecíveis sequer possuíam uma geladeira funcionando conservá-los.

Das nove pessoas mantidas no local, apenas uma seria oriunda de Araucária. Todas as demais são de Contenda, Lapa e Curitiba e foram deixadas ali pelas famílias ao custo, segundo informações preliminares, de R$ 1.200 a R$ 1.800,00 mensais.

A Secretaria de Assistência Social acrescentou ainda que o idoso morador de Araucária foi entregue à família. Todos os outros foram encaminhados provisoriamente pela Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) ao Hospital Municipal de Araucária (HMA) para receber os cuidados necessários. Porém, como – na prática – não estão doentes ao longo dos próximos dias serão entregues as suas famílias.

Também conforme informado pela promotora de justiça, além dos responsáveis pela Casa de “Cuidados” Vó Rita, as famílias que deixaram seus entes “queridos” ali também podem responder por crimes previstos no Estatuto do Idoso. Isto porque, em hipótese alguma, poderiam tê-los deixado no local sem averiguar e acompanhar se espaço oferecia as condições adequadas para o bem estar dos parentes.

A imagem é forte, mas precisa ser mostrada

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*