Home / Notícias / Policial / Adolescente se confunde e atira contra vítima que era de outro Estado

Adolescente se confunde e atira contra vítima que era de outro Estado


No domingo, 17 de março, um homem de 31 anos foi baleado enquanto caminhava com um colega na rua Bico de Lacre, no bairro Capela Velha. Após ser atingido, ele pediu ajuda em uma igreja na região e foi encaminhado até o quartel do Corpo de Bombeiros, onde recebeu os primeiros socorros e foi conduzido ao Hospital Municipal de Araucária.

Na madrugada seguinte, a Guarda Municipal abordou dois adolescentes na rua Arará, também no Capela Velha, que mostraram-se nervosos ao perceber a aproximação da viatura. Na abordagem, um deles confessou ter sido o autor dos disparos contra o homem na noite anterior e também a equipe da GM encontrou uma pistola ponto 40 municiada com a dupla. Ambos foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil de Araucária.

Lá, a equipe de investigação da Delegacia da Mulher e do Adolescente conversou com os menores e posteriormente a vítima reconheceu como o autor o mesmo que confessou ter atirado. De acordo com a delegacia, este menor, identificado como M. J. K., 16 anos, teria confundido-se e achou que a vítima seria um rival.

“O homem que foi baleado é caminhoneiro, de São Paulo, e estava em Araucária de passagem porque veio buscar uma carga. Na noite em que foi baleado, ele contou que estava com um colega e teriam saído procurar uma mercearia para comprar mantimentos quando foram surpreendidos por dois adolescentes que chegaram gritando ‘polícia, polícia’. Na sequência, um deles realizou 15 disparos contra a vítima, mas acertou apenas um, que, por sorte, atingiu um local que não colocou a vida em risco”, relatou uma investigadora.

O menor é usuário de drogas e, segundo informações, provavelmente no momento dos disparos, estaria sob efeito de entorpecentes. Ele já cometeu outro ato infracional por ameaça. Ainda nesta semana o adolescente deve ser transferido para internamento provisório em Curitiba.

A vítima segue internada no hospital, mas sem risco de morte.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1155 – 21/03/2019

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*