Home / Notícias / Policial / Caso Agnaldo Tenca completa 1 ano

Caso Agnaldo Tenca completa 1 ano


Agnaldo Tenca foi morto a tiros na rua Primavera, no Campina da Barra. Foto: divulgação

 

O caso da morte do mascate Agnaldo Tenca completará um ano no próximo dia 4 de junho e segue sem autoria conhecida. Ele foi assassinato a tiros enquanto estava trabalhando, indo levar enxovais para um possível cliente na rua Primavera, bairro Campina da Barra.

Familiares da vítima seguem pedindo justiça ao caso que ainda parece ser um mistério. No ano passado, a família e amigos realizaram manifestações para que o caso não caísse no esquecimento e, agora, um ano após o crime, novamente pedem a atenção das autoridades.

“A polícia comenta que este é um caso complexo. Porém, não vemos avanço nas investigações. Até onde sabemos é que a perícia do celular dele ainda não saiu. Também não recebemos informações novas. Como a equipe mudou, o caso ficou parado por um tempo”, disse uma familiar.

Por outro lado, a equipe da Delegacia de Polícia Civil de Araucária garante que o caso não foi esquecido e que as investigações continuam sendo feitas. “Não podemos divulgar as apurações, mas estamos seguindo uma linha de investigação”, disse um dos investigadores.

Os irmãos e a mãe de Agnaldo enfatizaram que estão muito angustiados devido ao tempo que já se passou. “Nosso irmão não era um qualquer para ter uma morte trágica como aquela e as autoridades não darem nenhuma resposta para nós”, afirmaram, acrescentando que Agnaldo foi vítima de uma emboscada. “Seguimos indignados com isso. Nosso irmão não merecia essa morte. Queremos saber o motivo desse crime e quem o fez tem que pagar por isso”, declararam.

Um dos filhos de Agnaldo também comentou que não tem ideia da motivação ou autoria do homicídio e que tentam continuar seguindo a vida sem o pai. “Sempre que perguntávamos na DP sobre as investigações não tínhamos nenhuma resposta concreta. Então, decidimos dar um tempo e parar de cobrar, deixando que a polícia faça o seu trabalho”, lamentou.

RELEMBRE O CASO

Agnaldo teria sido chamado por um cliente para mostrar os produtos que vendia. A esposa dele o acompanhava em algumas vendas e estava junto ao marido naquele dia.

De acordo com os relatos, a vítima estacionou o veículo quando encontrou o endereço repassado pelo cliente e ao descer do carro foi surpreendido por um indivíduo que disparou contra Agnaldo e fugiu em seguida.

Publicado na edição 1165 – 30/05/2019

Sobre Redação

Redação

One comment

  1. Um ano que meu irmão Agnaldo caiu numa emboscada e até agora nenhuma autoridade nos da uma reposta do pq fizeram isso com ele, alguém tinha interesse na morte dele, alguém lucrou com essa tragedia, quem???

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*