Home / Notícias / Policial / Delegada de Fazenda Rio Grande assume Delegacia da Mulher de Araucária

Delegada de Fazenda Rio Grande assume Delegacia da Mulher de Araucária

Em município vizinho,
Gislaine implantou o Núcleo
de Atendimento à Mulher . Foto: Everson Santos

 

Gislaine Ortega Pineda é a nova delegada da Delegacia da Mulher e do Adolescente de Araucária. Ela assumiu o posto na última semana e já está reunindo-se com autoridades para solicitar melhorias e alcançar os objetivos delineados.

Delegada há 5 anos, Gislaine trabalhou como a titular na delegacia de Tibagi por três anos e meio e depois assumiu a delegacia de Fazenda Rio Grande, onde permaneceu por um ano e meio. “Fui a titular da delegacia central em Fazenda. Lá, implantei o Núcleo de Atendimento à Mulher, onde era feito atendimento a mulheres vítimas de violência. A equipe era composta por duas estagiárias, uma psicóloga que prestava o apoio necessário bem como atuava junto às crianças vítimas de crimes sexu­a­is, e também pela coordenadora que fazia todo o acompanhamento das vítimas, relatórios e encaminhamentos para CREAS e CRAS”, contou.

Por questões burocráticas, o Núcleo funcionou até março deste ano, mas, em cerca de 6 meses em atividade, foram aproximadamente 620 atendimentos com pedidos de medida protetiva. “Foi um projeto pioneiro no Paraná e Região Metropolitana, graças à sensibilidade do prefeito e do entendimento do Judiciário”, completou a delegada.

Com a experiência de muito êxito no que diz respeito à violência doméstica em Fazenda Rio Grande, Gislaine acredita que poderá realizar um bom trabalho agora em Araucária. “Minha expectativa é concluir os procedimentos, essa é minha prioridade. Além de promover melhoria nos atendimentos e otimizar os serviços. Assim que esses procedimentos pendentes forem finalizados, darei o segundo passo que é buscar uma melhor estrutura que possa receber a DM. Já fiz a solicitação de mais funcionários para que possamos concluir com sucesso esta primeira meta”, afirmou.

A Dra. Gislaine comentou que já teve contato com a Guarda Municipal e com Secretaria Municipal de Segurança Pública e ficou feliz em saber que a cidade conta com mecanismos que conseguem, de fato, fazer a verificação e acompanhamento da situação destas vítimas, citando a Patrulha Maria da Penha.

Publicado na edição 1163 – 16/05/2019

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*