Home / Notícias / Policial / Especialista estuda cruzamento perigoso e sugere melhorias

Especialista estuda cruzamento perigoso e sugere melhorias

O especialista destacou que os carros acabam parando além da faixa, por não ter visão facilitada da outra rua

 

O especialista em prevenção de sinistros por meio de inteligência competitiva, Amaury Vieira, realizou um estudo sobre o cruzamento das ruas Heitor Alves Guimarães e Alfredo Parodi. O local tem sido palco de diversos acidentes, visto que motoristas que vem pela Alfredo Parodi avançam a preferencial e acertam em cheio os que descem pela Heitor Alves Guimarães.

Neste mês de novembro, foram contabilizados cerca de seis acidentes no cruzamento. Por sorte, nas colisões que aconteceram até o momento, apenas danos materiais aos motoristas. Mas, é importante ressaltar que a desatenção dos condutores, aliada à velocidade, pode vir a causar acidentes fatais. “Existe uma pirâmide de risco. Os acidentes que tinham como consequência apenas prejuízo material, com o tempo podem vir a ter vítimas fatais”, explicou o especialista.

Prevendo este tipo de situação, Amaury se dispôs a ir até o local e, a partir de um estudo realizado no endereço, chegou a um diagnóstico entendendo o motivo pelo qual as batidas vêm acontecendo regularmente. “Primeiramente, os carros que vem pela Alfredo Parodi estavam acostumados que a rua era preferencial e, agora, com as mudanças no trânsito na cidade, não é mais. Outro ponto é que os carros que vem pela Heitor Alves Guimarães embalam antes e no cruzamento descem em velocidade”, apontou. O especialista ainda indicou que por alguns momentos do dia, quem vem pela Alfredo Parodi fica com visão contra o sol, fato que prejudica ainda mais a percepção da sinalização.

“Acredito que seja necessária mais sinalização sobre a preferencial que será cruzada, o perigo está ali, pois quem acabou de passar por um sinaleiro na descida da Heitor vem em velocidade”, afirmou. Amaury também observou que os carros que param na Alfredo Parodi, acabam ficando além da faixa, visto que antes não tem visão da outra rua. “É uma dificuldade física. Acho que seria válido um redutor de velocidade alguns metros antes da faixa e mais sinalização, pois há, inclusive, uma árvore que acaba escondendo a placa, sem contar o sol que em determinados horários afeta a visão dos motoristas”, sugeriu, destacando a importância da Prefeitura Municipal agir com rapidez neste caso, para neutralizar os acidentes na região, evitando situações ainda piores.

Foto: Marco Charneski

Sobre Redação

Redação

3 comments

  1. kkkk
    Precisa ser especialista pra perceber isso? qualquer trouxa sabe disso.
    Aponte uma solução e nao fique de bla bla bla.

  2. As vezes é necessário dizer o ÓBVIO!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*