Home / Notícias / Policial / Investigação indica que morte de dono de boate teve requintes de crueldade

Investigação indica que morte de dono de boate teve requintes de crueldade

Polícia traçou linhas de investigação para os últimos homicídios na cidade. Foto: Marco Charneski


 

A Delegacia de Polícia Civil de Araucária está investigando o homicídio do dono de uma boate, localizada no bairro Chapada. O proprietário do estabelecimento, Mario da Cruz, 59 anos, foi morto na madrugada de domingo para segunda-feira da semana passada, 4 de fevereiro.

Nos primeiros dias após o crime, sabia-se, conforme os relatos de uma testemunha, que dois homens encapuzados arrombaram a porta da casa da vítima, que ficava nos fundos da boate, e atiraram contra Mario a queima roupa, fugindo logo em seguida em uma moto.

No entanto, após diligências empreendidas na última semana, algumas linhas de investigação estão sendo traçadas pela equipe da DP local. “Acreditamos que houve raiva neste assassinato, mesmo porque a vítima não levou apenas os tiros, mas também pedradas e teve pernas e braços quebrados”, informou a equipe de investigação.

Uma das suspeitas é que o crime possa ter cunho passional, ou seja, aquele movido por grande emoção em referência a um sentimento ou alto grau de afeto em relação à vítima. Outra linha seguida pelos investigadores é que o homicídio possa ter sido motivado por briga por ponto de tráfico de drogas. “Soubemos que anteriormente a vítima teve outro estabelecimento comercial do mesmo ramo no bairro Pinheirinho, em Curitiba. Lá, havia também disputa por ponto de venda de drogas e descobrimos que o Mario vinha sofrendo ameaças”, relatou a equipe.

Ainda, entre os antecedentes criminais por furto e receptação, a DP levantou que Mario tinha uma passagem pelo Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (NUCRIA), em 2011, por exploração de menores.

OUTRO HOMICÍDIO NO MESMO FIM DE SEMANA

Outro assassinato que aconteceu no mesmo fim de semana, mas no sábado, 2 de fevereiro, foi o do adolescente Mateus Henrique Dalmoro, 16 anos. O crime foi na rua Rouxinol, no bairro Capela Velha.

De acordo com informações, a vizinhança teria ouvido disparos de arma de fogo. Ao saírem das casas para ver o que estava acontecendo, depararam-se com o jovem já caído em via pública.

A DP está apurando este caso e também segue a linha de investigação de crime passional. “Segundo os depoimentos de amigos e familiares, a vítima era um jovem calmo, que não tinha inimizades e não se envolvia em brigas. Contudo, após diligências, soubemos que o Mateus estaria tendo envolvimento com uma mulher nos últimos tempos. Ainda não temos nenhuma suspeita confirmada. Esta é apenas uma das linhas que estamos seguindo para chegar a autoria do crime”, informou a equipe da delegacia.

Publicado na edição 1150 – 14/02/2019

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*