Home / Notícias / Policial / Justiça Criminal vai analisar pedido de prisão do assassino

Justiça Criminal vai analisar pedido de prisão do assassino


Lucas foi morto por engano e família espera por justiça. Foto: divulgação

 

A família do skatista Lucas Gonçalves Eduardo de Lima, assassinado em outubro de 2013, reacendeu a esperança de, finalmente, ver o assassino do jovem atrás das grades. Sílvio José Barbosa, que confessou o crime, foi a júri popular em junho de 2016, e mesmo condenado a 12 anos de prisão por homicídio qualificado, por motivo fútil, permaneceu solto e recorreu da decisão.

No dia 28 de maio, a assistente de acusação do Ministério Público de Araucária, entrou com pedido para que fosse expedido imediatamente o mandado de prisão contra Sílvio, de 14 anos de reclusão em regime inicial fechado, uma vez que já houve confirmação da sentença em 2ª instância. O pedido seguiu para análise da juíza titular da Vara Criminal de Araucária.

Esperança

A mãe do jovem, Maritania Figueiredo, disse que nunca perdeu a esperança de colocar o assassino do filho atrás das grades, e vê nesse pedido do Ministério Público, um alento para que ele pague pelo que fez. Ela conta ainda que nunca desistiu de lutar por justiça, mas que infelizmente nesse país, muitos assassinos, têm a certeza de que o crime compensa.

“A pena de 12 anos para quem tira a vida de uma pessoa de forma tão covarde, não é nada. Já se passaram seis anos e meio que ele tirou a vida de meu filho, e nunca, nem sequer por um minuto, sentiu o peso do que fez. Não vou parar de lutar”, comentou Maritania.

Relembre o crime

Lucas, com 15 anos, foi assassinado enquanto andava de skate com alguns amigos na avenida Nossa Senhora dos Remédios, no bairro Boqueirão. Segundo testemunhas, Silvio parou com seu carro próximo aos jovens. Ele desceu do veículo, trocou algumas palavras com o garoto, e teria lhe dado um tapa na cara. Lucas não teve tempo de revidar, pois Silvio sacou uma arma e lhe acertou um único tiro, fugindo em seguida.

Para a polícia, Lucas foi morto por engano, pois o alvo era um de seus colegas, de apenas 14 anos, que estava de namoro com a filha de 12 anos de Silvio, que não aceitava o relacionamento.

Publicado na edição 1166 – 06/06/2019

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*