Mascate é morto com balaços enquanto trabalhava | O Popular do Paraná
Home / Notícias / Policial / Mascate é morto com balaços enquanto trabalhava

Mascate é morto com balaços enquanto trabalhava

O inquérito foi instaurado para apurar a autoria do crime

 

Um vendedor de enxovais, profissão conhecida popularmente como “mascate”, foi morto por volta das 14h30 de segunda-feira, 4 de junho, enquanto trabalhava no bairro Campina da Barra. A vítima, Agnaldo Tenca, 45 anos, foi assassinado com três tiros na rua Primavera, próximo ao antigo Açougue do Pereira.

De acordo com relatos da esposa de Agnaldo, que estava com ele no carro no momento do homicídio, um homem de cor negra saiu de um matagal na mesma rua e aproximou-se do casal. Agnaldo foi atendê-lo, como atenderia qualquer cliente, quando o indivíduo efetuou os disparos.

Ao sair do carro, Agnaldo levou os tiros. O autor fugiu para o mesmo local de que havia aparecido e não foi encontrado até o momento. Apesar do socorro médico ter sido acionado, a vítima não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local.

A Polícia Civil instaurou inquérito para investigar o caso. “Estamos trabalhando com algumas linhas de investigação, mas descartamos a possibilidade de latrocínio”, comentou o delegado João Marcelo Renk. De acordo com as primeiras diligências, a vítima não tinha passagem pela polícia e estaria morando em Araucária há cerca de quatro anos.

Ainda, ao que se sabe até o momento, Agnaldo não tinha envolvimento com o mundo das drogas e trabalhava há anos no mesmo segmento de vendas. Também, de acordo com a DP, no celular da vítima não havia nenhuma mensagem ou informação comprometedora ou de ameaça, que pudesse indicar o motivo do homicídio.

Parentes de Agnaldo também teriam afirmado que ele não tinha nenhuma desavença e nem estaria cobrando clientes. “Uma das linhas de investigação é que a vítima foi confundida com outro alvo”, apontou o delegado.

 

 

Fotos: Marco Charneski

Publicado na edição 1116 – 07/06/2018

Sobre Redação

Redação

6 comentários

  1. Tem informação errada. Ele só foi neste lugar pq recebeu msg de uma suposta futura cliente querendo enxovais, é só averiguar no celular dele, ele foi para uma emboscada, agora resta saber quem teria interesse em ver esse homem honesto, trabalhador, morto.
    Quem teria interesse, quem????

  2. O vendedor de enxoval Agnaldo Tenca, foi atender o chamado de uma pessoa que lhe mandou msg, que deseja comprar, não estava no local por acaso, ele foi chamado pra uma emboscada,e pedimos justiça ,a homem é sempre foi do bem , amado por tds que o conhecia ,quem tiver informações ligue pra polícia, não precisa se identificar obrigada

  3. Estamos até agora esperando que faça justiça, o Agnaldo foi morto numa emboscada, alguém mandou matá-lo, queremos respostas da polícia, este crime ñ pode ficar impune

  4. Se passaram 51 dias sem solução para um crime premeditado e que deixou rastro!!
    Será que se fosse um famoso os culpadas estariam soltos??
    Tem um ponto de partida, o celular.
    Teve testemunha.
    Cadê a perícia?
    A quebra de sigilo telefônico? O retrato falado???

    • Verdade….ou alguem ta sendo muito incompetente ou tem vista grossa na jogada…se eu fosse vocês já teria ido bater na porta da corregedoria e MP solicitar transferência do caso. Teve um assalto com morte de madrugada no campo comprido onde os bandidos mataram a mãe de uma noiva minutos antes do casamento, lugar esmo, sem testemunha, sem câmeras. Levou três dias e pegaram os caras…Minha sugestão: Procurem o Dr. Recalcatti e peçam ajuda pra ele, ele tem um carinho especial por Araucária é deputado SÉRIO é sabe trabalhar, a delegacia de Araucária troca de delegado toda semana, então motivação deve ser ZERO por ali…

      • Obrigada dr House por acompanhar o caso do meu irmão, entendemos que o sistema que é falho, tem mta ocorrência para poucos recursos humano, mas, que o ministério público ou corregedoria que faça uma força tarefa, ofereça mais recursos para desvendar esse crime que foi friamente planejado contra um cidadão de bem!!
        Pedimos que se alguém sabe de algo relacionado ao caso que faça denúncia anônima, 041 995337382

DEIXE UM COMENTÁRIO

Seu endereço de email não será publicado. Os campos requiridos são marcados com *

*