Home / Notícias / Policial / Membro de associação criminosa que desviava cargas é preso pela Polícia Civil

Membro de associação criminosa que desviava cargas é preso pela Polícia Civil


O caminhoneiro disse que receberia R$ 2 mil pelo serviço. Foto: divulgação

 

A Polícia Civil de Araucária prendeu em flagrante na noite desta segunda-feira, 20 de maio, Flavio Bones da Luz, 31 anos. Ele foi autuado pelos crimes de adulteração de sinal automotor, associação criminosa, estelionato e documento falso.

A ocorrência teve início durante a tarde, quando a equipe da Delegacia de Araucária recebeu a informação do responsável por uma transportadora com sede na cidade de Criciúma, em Santa Catarina, de que um caminhoneiro com documentos falsos estava se passando por um fretista terceirizado da empresa.

Porém, conforme informou a DP local, o indivíduo estava com documentos pessoais falsos, além de documentação adulterada de um caminhão que viria até Araucária carregar cerca de 37 mil quilos de ureia na refinaria da Petrobrás.

A equipe de inteligência da transportadora desconfiou e conseguiu fazer contato com a vítima, o real fretista terceirizado, que reside em Sarandi, norte do Paraná. Ao conversar com o homem, viu que ele desconhecia a contratação do serviço e imediatamente entrou em contato com a delegacia da cidade, que logo redesignou o caso para a DP de Araucária.

Com tais informações, o delegado Tiago Wladyka, o superintendente Djalma Santos e a equipe de investigação realizaram uma campana na refinaria, com apoio da equipe de vigilância do local.

O responsável pela transportadora estava em contato com o suspeito, que teria informado sobre um problema no caminhão durante a viagem. A previsão de chegada era por volta das 18h30, mas o caminhoneiro chegou ao destino somente por volta das 21h. Durante todo este tempo, a equipe da DP local o aguardava alerta à paisana.

Quando Flavio chegou à portaria da Petrobras com um caminhão Scania Bitrem, logo recebeu voz de abordagem. Ele ainda apresentou-se aos policiais com o documento falso e recebeu voz de prisão.

Na DP, foi constatado que as placas de fato estavam adulteradas, bem como toda a documentação falsa para subtrair a carga de ureia de dentro da refinaria e levá-la a Campo Largo, conforme informou o sujeito. Na DP, Flavio relatou que esta era a primeira vez que participava do esquema e que receberia R$ 2 mil pelo serviço. Ele não tinha antecedentes criminais.

Agora, com estas informações, a DP de Araucária está investigando o caso. Flavio segue na carceragem local à disposição da Justiça.

Publicado na edição 1164 – 23/05/2019

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*