Home / Notícias / Policial / Polícia Civil desmantela quadrilha especializada em roubos a joalherias no Estado

Polícia Civil desmantela quadrilha especializada em roubos a joalherias no Estado


Foto: divulgação

 

A Polícia Civil do Paraná cumpriu, na manhã desta quarta-feira, 5 de junho, 13 mandados judiciais, sendo três de prisão preventiva e dez de busca e apreensão, contra uma das maiores associações criminosas especializada em roubos a joalherias do Estado. Cerca de 40 policiais civis participaram da operação que aconteceu na Capital e Região Metropolitana de Curitiba.

Durante as buscas, a Polícia Civil encontrou uma arma de fogo e um relógio proveniente de um dos crimes, avaliado em R$ 800. Os mandados foram cumpridos nos bairros São Braz, Tatuquara, Pinheirinho, Sítio Cercado, Capão Raso e Campo do Santana e nos municípios de Fazenda Rio Grande e Araucária.

De acordo com as investigações, o grupo seria responsável por diversos crimes. Alguns dos suspeitos foram reconhecidos por vítimas de dois roubos realizados em Ponta Grossa. Somente em uma joalheria, que fica dentro de um shopping da cidade, no dia 22 de fevereiro deste ano, os criminosos teriam subtraído mais de R$ 750 mil em joias. Em outras duas ocasiões  o grupo criminoso teria atuado no bairro Cajuru e em uma padaria, no centro de Ponta Grossa.

PRISÃO

Os três mandados de prisão preventiva foram cumpridos dentro do sistema prisional contra Fábio Rovanir Francisco, de 39 anos; Flávio Rocha, 38 e José Luiz da Silva, 54. O trio já encontrava-se preso desde o dia 16 de abril deste ano, em decorrência de um roubo contra uma joalheria do município de Xanxerê, em Santa Catarina.

Conforme apurado pela PCPR, Silva possui uma extensa ficha criminal que inclui porte ilegal de arma de fogo, roubo e homicídio. Rovanir já respondeu por crimes de receptação e roubo, já Rocha tem passagem por tráfico de drogas. Além dos roubos, os suspeitos também vão responder pelo crime de associação criminosa.

A polícia informa que os trabalhos de investigação devem continuar para que outros possíveis suspeitos também possam ser identificados.

Texto: assessoria

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*