Home / Notícias / Policial / Polícia prende suspeito de roubo a residências e ainda recupera calopsita

Polícia prende suspeito de roubo a residências e ainda recupera calopsita


Um homem de 35 anos, suspeito de integrar uma associação criminosa especializada em roubos a residência, foi preso na manhã desta quinta-feira, 27 de abril, pela Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) de Curitiba. O suspeito foi localizado em sua casa, na rua Papoulas, no bairro Campina da Barra

Na residência do suspeito, identificado como sendo Gilmar Aparecido de Jesus, foram cumpridos mandados de busca e apreensão domiciliar e de prisão pelo crime de roubo agravado. No local, os policiais apreenderam aproximadamente 240 gramas de maconha e 37 gramas de crack, além de alguns objetos eletrônicos e utensílios domésticos de origem duvidosa e até uma calopsita, que teria sido subtraída de uma residência alvo da quadrilha que Gilmar integraria.

Ele não resistiu a prisão e nega a participação nos roubos. Com a apreensão das drogas, o homem também foi autuado em flagrante por tráfico de drogas.

Conforme investigações levantadas pela especializada, o homem foi reconhecido na participação de pelo menos dois roubos a residência ocorridos no inicio do ano, nos bairros Mercês e Jardim Social. Outros dez membros da quadrilha, entre eles dois adolescentes, já haviam sido autuados pela DFR, ao longo das diligências ocorridas nos últimos três meses, no qual foram reconhecidos pelas vítimas, suspeitos de participarem de cinco roubos em diversas residências da capital.

Segundo o delegado titular da DFR, Matheus Laiola, a Polícia Civil conseguiu desmantelar uma associação criminosa. “Essa quadrilha agia de forma bastante violenta e vinha realizando diversos roubos na cidade. Esses suspeitos causaram graves danos físicos e psicológicos às vítimas, mas agora estão detidos”, finaliza o delegado.

O homem já possuía passagens criminais por tráfico de drogas e receptação. Ele agora responderá por tráfico de drogas e roubo agravado. Ele permanece preso à disposição da Justiça.

 

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*