Home / Notícias / Policial / Super operação da PF tem alvo em Araucária

Super operação da PF tem alvo em Araucária

A Polícia Federal deflagrou na manhã de terça-feira, 20 de novembro a Operação Pregadura, a fim de reprimir crimes cometidos por indivíduos que ocupam posições de liderança na estrutura de uma facção criminosa que atua dentro e fora de unidades prisionais no país.


O grupo era responsável por comandar ações em todos os estados, autorizando o ataque a agentes públicos, crimes de tortura, rebeliões e compra e venda de armas de fogo para a prática de mais crimes. As decisões partiam normalmente de dentro da Penitenciária Estadual de Piraquara e eram repassadas aos demais integrantes da rede através de celulares. Nas unidades prisionais em que as ordens não entravam pelo uso destes meios de comunicação eram utilizados bilhetes encaminhados por visitantes que colaboravam cotidianamente com a transmissão de ordens do “alto escalão”.
“Foram confirmados ‘tribunais do crime’ e determinações para se realizar torturas e punições a faccionados que não cumpriam com suas obrigações”, relatou o delegado da PF e coordenador da operação, Martin Purper.

Foram cumpridos 10 mandados de busca e apreensão e 31 mandados de prisão no Paraná, Rondônia, Rio Grande do Norte, Roraima, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e São Paulo. No Paraná, além de Londrina, Cambará, Curitiba, São José dos Pinhais e Piraquara, um mandado de busca foi realizado em Araucária devido a uma conta bancária vinculada à facção, em que, em tese, eram feitos depósitos para crimes realizados. O nome do envolvido não foi divulgado.

O nome da operação policial faz referência à jogada de xadrez que tem por objetivo impedir a movimentação de peças do adversário em uma partida. As investigações, de acordo com a PF, já duram cerca de 6 meses.

Quanto aos 31 mandados de prisão, 26 suspeitos já estavam presos em diversas unidades prisionais do país, de acordo com Purper. Os investigados responderão pelos crimes de organização criminosa, associação para o tráfico de drogas e o comércio ilegal de drogas, tráfico de armas, tortura e homicídios.

Texto: Redação e Assessoria

Publicado na edição 1140 – 22/11/18

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*