Home / Notícias / Política / Hissam quer terminar 2º ano de mandato com mais de 100 km de ruas sendo asfaltadas

Hissam quer terminar 2º ano de mandato com mais de 100 km de ruas sendo asfaltadas

Diariamente ele pode ser visto num canteiro. Na foto, dando uma checada no pavimento feito na localidade de Campo Redondo – Foto: Marco Charneski


 

 

Se a programação do prefeito Hissam Hussein Dehaini (PPS) não sofrer nenhum imprevisto, ele deve chegar ao final de 2018 com a incrível marca de ter asfaltado, contratado e/ou ter em mãos o projeto pronto para licitar a pavimentação de quase 120 quilômetros de ruas araucarienses. Nunca antes na história da Cidade Símbolo do Paraná um gestor conseguiu executar tantos projetos de infraestrutura em tão pouco tempo (veja tabela com as obras na página seguinte).

Para se ter uma ideia, Hissam deve terminar seu segundo ano de mandato com uma média de 160 metros de ruas pavimentadas (ou com o projeto engatilhado) por dia neste período. Isso mesmo: 160 metros de asfaltado, em média, por dia.

Independentemente de você aprovar ou não a gestão e/ou o estilo de governar de Hissam, o dado é impressionante. E tanta obra de pavimentação em tão curto espaço de tempo só está sendo possível porque o prefeito transformou a Secretaria Municipal de Obras Públicas (SMOP) praticamente numa máquina de elaborar projetospara esse tipo de obra. Quem algum dia já havia visitado a SMOP em outras administrações e o fez agora, na de Hissam, nota isso com facilidade. Salas que antes eram ocupadas por um ou dois técnicos hoje abrigam mais de uma dezena de engenheiros, arquitetos, topógrafos e outros profissionais da área.

O reforço do time à disposição do secretário Fabiano Mello possibilitou que a Prefeitura tivesse em mãos projetos de engenharia em tempo recorde para pleitear linhas de financiamento disponibilizadas pelo Governo do Estado e também da União. Some-se a isso o investimento que Hissam fez no parque de máquinas do Município e temos um cenário perfeito para o verdadeiro canteiro de obras de pavimentação que se tornou a cidade. Hoje, para se ter uma ideia, são quase cinquenta licitações e/ou projetos sendo tocados simultaneamente, todos observados muito de perto pelo chefe do Executivo. “Às vezes chego aqui na Secretaria ali por 7h30. Final de semana estou nas obras fiscalizando. Eu mesmo entrevisto muito dos profissionais que vão trabalhar com a gente. Faço isso porque acredito que a equipe tem que ter o meu ritmo de trabalho”, comenta o prefeito.

Área rural

Outro diferencial das obras de pavimentação desta gestão, quando comparadas a de gestões anteriores, é a priorização da área rural da cidade. São dezenas e dezenas de projetos para beneficiar a comunidade rural já concluídos, em execução ou sendo elaborados. Elas estão em comunidades como Tietê, Campo Redondo, Colônia Cristina, Roça Nova, Guajuvira, Palmital e assim por diante. “Muitas pessoas me perguntam porque dedico tanta atenção ao interior, já que nessas regiões o número de eleitores é infinitamente inferior ao da área urbana. Sempre respondo que o homem do campo vem sendo iludido com promessa de asfalto há trinta, quarenta anos, mas que eu não faria isso”, argumenta.

Dentre as obras monumentais que estão sendo feitas na área rural, a que merece maior destaque foi a decisão de Hissam de pavimentar a Estrada de Tietê, que possui algumas dezenas de quilômetros. Apesar de difícil, a missão está sendo cumprida em etapas. Até o momento, já foram licitadas e iniciados o trecho I e II, que juntos somam algo em torno de 4,3 quilômetros. Os trechos 3 e 4 já estão com os projetos prontos e somam outros 12,4 quilômetros. Uma dessas licitações, inclusive, já tem data marcada agora para 19 de outubro. O próximo trecho, de número 5, prevê a pavimentação de outros 9,3 quilômetros.

Área urbana

Embora a pavimentação de vias rurais acabe ganhando destaque por conta da extensão das estradas, isso não quer dizer que obras na área urbana estejam sendo deixadas de lado. “Já pavimentamos muita coisa na área urbana e, em breve, vamos lançar mais uma série de obras em bairros como Ipês, Califórnia, Campina da Barra, Costeira e assim por diante”, avisa Hissam.

Ainda segundo ele, no caso das obras na área rural, os projetos incluem a pavimentação do zero em alguns locais, bem como a revitalização de vias que já tinham pavimento, mas que estavam destruídos. “No caso da área urbana, as obras sempre incluem as calçadas, arborização, rampas de acesso e outros serviços complementares”, destacou.

Das grandes obras que devem começar já nas próximas semanas na área urbana, destaque para a revitalização

 

da Avenida das Araucárias. “Ali, vamos revitalizar algo em torno de 12 quilômetros de via. Os trabalhos começam já no dia 28 de setembro”, comemora.

Descontos

Ainda de acordo com Hissam, um dos maiores avanços de sua gestão foi a recuperação da confiança da Prefeitura junto aos seus fornecedores.

“Quando assumi o Município, muitas empreiteiras não queriam nem saber de prestar serviço para gente. Nossa fama não era boa. Havia empresa que levava meses para receber pelo serviço prestado. Comigo isto não acontece. Botamos as finanças em dia. Hoje, a empresa executa um etapa da obra, nossos fiscais vão lá, medem e, estando tudo certinho, eles emitem a nota e, em poucos dias, recebem. Nossa fama hoje é de bom pagador. E todo mundo quer trabalhar para quem paga certinho”, analisa o prefeito.

Segundo ele, a fama de boa pagadora, da Prefeitura, tem feito com que as licitações atraiam várias empreiteiras e que haja disputa real de preços. “Hoje temos tido uma média de desconto em nossas licitações de 25%. E essas empresas só dão o desconto porque sabem que vamos pagar em dia. Antes, elas não faziam isso porque já contabilizavam em suas planilhas que levariam meses para receber e isso encarece qualquer serviço”, comenta.
Hissam acrescenta que o desconto dado pelas empresas significa mais dinheiro para reinvestir em outras obras de pavimentação. “Muitas das licitações que estamos fazendo só é possível por conta das sobras de recurso de outras licitações”, explica.

Boa parte dessas obras está sendo feitas com recursos de outras esferas de governo, inclusive, por meio de linhas de financiamento. São antecipações de receita feitas para melhorar a infraestrutura do Município já, com a possibilidade de pagar no futuro, em parcelas, com juros muito pequenos. “Ao investirmos na infraestrutura dos bairros e da área rural, estamos também melhorando a vida dos nossos moradores em várias outras áreas. Saúde, por exemplo, sem poeira, sem lama, temos pessoas com menos riscos de pegar doenças respiratórias, dentre outras. Na área da Educação, acontece o mesmo: melhoramos as condições de transporte dos alunos, professores e assim por diante”, destacou.

 

 

 

Texto: Waldiclei Barboza

Publicado na edição 1131 – 20/09/18

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*