Home / Notícias / Política / Juntos, vereadores da cidade fizeram 257 proposições durante os doze meses de 2015

Juntos, vereadores da cidade fizeram 257 proposições durante os doze meses de 2015


Desde que foi implantado, em 2013, ainda quando a Câmara de Araucária era presidida pelo vereador Pedrinho Nogueira (PTN), o Sistema de Apoio ao Processo Legislativo (SAPL) se tornou uma excelente ferramenta de acompanhamento do trabalho dos integrantes do parlamento municipal.

Com a necessária transpa­rência que o SAPL trouxe à Câmara é possível medir, por e­xemplo, a produtividade diária, mensal, anual e do mandato de cada um dos onze vereadores da cidade. E foi com esse intuito que, ao longo dos últimos dias, nossa reportagem vascu­lhou o sistema para descobrir quais foram as proposições feitas por cada edil ao longo de 2015. A pesquisa levou em conta o número de projetos de lei, indicações, requerimentos e moções propostos por cada vereador de janeiro a dezembro do ano passado.

Os números levantados pelo O Popular mostraram que, ao longo de 2015, os vereadores, juntos, propuseram ao plenário da Câmara 38 projetos de lei, 200 indicações, 9 requerimentos e 10 moções, o que totaliza uma produtividade conjunta de 257 matérias.

Individualmente, a lide­rança na proposição de projetos de lei é dividida entre Pedrinho Nogueira e Clodoaldo Pinto Junior (PMB), cada um com oito matérias. Já em termos de indicações, que são aqueles pedidos de serviços e/ou obras que os edis levam à votação, ninguém bateu Adria­na Cocci (PTN), que apresentou 56 pedidos de melhorias em bairros de Araucária. Quando o assunto é requerimento, que na prática é quase a mesma coisa que uma indicação, o mais pró-ativo também é Clodoaldo, com quatro propostas. Já em termos de moções, cuja maioria é de homenagens a determinadas pessoas, o campeão é o presidente da Casa, Wilson Roberto David Mota (PSD), com três ações do tipo. Na tabela abaixo você acompanha toda a produção legislativa dos onze integrantes da Câmara no ano passado.

Mais do que isso

Obviamente, não seria correto medir a atuação dos vereadores apenas com base no número de matérias que ele leva ao plenário. Isto porque parte do trabalho dos edis é, digamos assim, subjetiva e deve levar em conta seus posicionamentos em plenário, como ele exerce a fiscalização do Poder Executivo, suas presenças às sessões, sua postura diante das demandas da cidade, entre outras coisas.
tabela
Texto: Waldiclei Barboza

Sobre Redação

Redação

One comment

  1. De que adianta tantas proposições, se nenhuma presta pra população

Deixe um comentário para Anderson Cancelar

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*