Home / Notícias / Política / Mudanças no Triar provocam demissão de mais de 50 motoristas e cobradores

Mudanças no Triar provocam demissão de mais de 50 motoristas e cobradores

Motoristas e cobradores já teriam sido comunicados pela concessionária do transporte coletivo sobre as demissões

Motoristas e cobradores já teriam sido comunicados pela concessionária do transporte coletivo sobre as demissões


A partir de amanhã, 10 de outubro, passam a valer uma série de mudanças nas linhas do Transporte Integrado Araucária (Triar). Elas serão feitas com o objetivo de diminuir o custo do transporte coletivo no Município, que atualmente consome algo em torno de R$ 80 milhões anuais.

Segundo o diretor presidente da Companhia Municipal de Transporte Coletivo (CMTC), Sandro Martins, as mudanças não devem afetar os usuários do Triar, já que não haverá corte de nenhuma das setenta linhas que abastecem os quatro cantos da cidade e da área rural atualmente. “O que vamos fazer é alterar alguns trajetos, de forma que os itinerários sejam mais eficientes”, comentou.

Ainda conforme Sandro, a busca pela redução dos custos do transporte coletivo municipal também fez com que a CMTC contratasse uma consultoria que reviu todas as tabelas e o custo operacional da concessionária que administra as linhas do Triar, o que resultará numa economia significativa para os cofres municipais. “Esse estudo mostrou que havia um subaproveitamento de mão de obra. Enquanto as linhas da Urbs utilizam algo em torno de 2,8 motoristas para manter um ônibus circulando diariamente nós estávamos utilizando 4 por veículo”, explicou.

Diante da situação, as tabelas foram revistas de modo que se chegasse a uma melhor utilização dessa mão de obra. “Com as mudanças, chegamos ao mesmo aproveitamento que a Urbs consegue por veículo”, explica Sandro. O lado ruim desse me­lhor aproveitamento é que ela acabou fazendo com que a concessioná­ria que administra Triar tivesse que dispensar cerca de cinquenta dos quase trezentos motoristas contratados. O lado bom é que isso deve gerar uma economia de quase R$ 250 mil mensais aos cofres da Prefeitura.

As mudanças no Triar também incluem uma melhor utilização dos ônibus articulados, que no Município são chamados de Linhões 1 e 2. Agora, esses veículos só serão utilizados nos horários de pico. No restante do dia o trajeto dos linhões será feito por ônibus convencionais. A alteração gerará a dispensa de cerca de vinte cobradores.

Outras mudanças

Também a partir deste sábado, as linhas Califórnia/Vital Brasil e Minas Gerais não pararão mais na Estação de Transferência da Avenida Manoel Ribas. O itinerário Intersul, por sua vez, terá seu trajeto estendido, passando pelas ruas Paulo Cantador e Augusto Ribeiro dos Santos, de modo que os passageiros possam embarcar ou desembarcar mais próximo à UPA 24 horas, no jardim Planalto.

Já o Santa Regina terá seu trajeto bairro/centro modificado. Com isso, o retorno da linha se dará pela avenida Archelau de Almeida Torres até a Rua Guadalajara, seguindo pela rua Miguel Bertolino Pizzato até acessar a avenida Dr. Victor do Amaral.

Outra alteração será na linha Thomaz Coelho, que no retorno de 15h50, irá passar na empresa Hubner. Com isso, o ônibus que saia da indústria às 16h18 dei­xará de existir. Por fim, a linha Campestre, no horário de 5h55, que abastece a área rural, terá seu trajeto simplificado, dei­xando de passar por Taquarova.

Texto: Waldiclei Barboza / FOTO: EVERSON SANTOS

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*