Home / Notícias / Política / Olizandro e Fruet fecham acordo pra retomar integração

Olizandro e Fruet fecham acordo pra retomar integração


Vereadores, presidente da URBS e prefeitos celebram acordo

Vereadores, presidente da URBS e prefeitos celebram acordo

Os prefeitos de Araucária e de Curitiba, Olizandro José Ferreira (PMDB) e Gustavo Fruet (PDT) se reuniram na manhã desta quinta-feira, 16 de abril, para sacramentar um acordo que permitirá aos usuários do transporte coletivo da cidade ir a Capital pagando apenas uma passagem e voltar para casa pagando outra. Na prática, só que numa outra modelagem, a parceria devolverá ao araucariense a integração sorrateiramente destruída pela Comec (Coordenação da Região Metropolitana) em fevereiro passado.

A parceria é a primeira do gênero firmado diretamente entre dois municípios da RMC sem a intervenção do Governo do Estado, a quem legalmente caberia à tarefa de integrar a região metropolitana. Os de­talhes do acordo foram debatidos ao longo da semana, após “a segunda-feira de fúria” dos usuários do transporte coletivo de Araucária. Desde então, Olizandro, o diretor presidente da Companhia Municipal de Transporte Coletivo (CMTC), Sandro Martins e vários vereadores da cidade fizeram uma verdadeira romaria por órgãos do Estado em busca de soluções para o caos causado pelo fim da integração. Na terça-feira (14) conversaram com o governador Beto Richa (PSDB) e com o responsável pela Comec, Ratinho Junior (PSC), porém as conversas não foram produtivas.

Na quarta-feira (15), com a suspensão da linha Araucária/CIC, que havia sido criada pela Comec naquele mesmo dia, prefeito e vereadores decidiram avançar em conversas preliminares que já estavam sendo feitas com a URBS e destes encontros saíram os detalhes da parceria para devolver a integração ao araucariense. Faltava apenas a autorização de Gustavo Fruet, que foi dada sem nenhum pestanejo na manhã de ontem. “Este é um primeiro passo, e a proposta é que as cidades trabalhem em conjunto para buscar soluções. A população, o usuário do transporte coletivo, não pode pagar por eventuais dificuldades técnicas e financeiras do Governo do Estado”, ensinou Gustavo.

Encontro para acertar a parceria foi num consultório que foi improvisado para virar sala de reuniões

Encontro para acertar a parceria foi num consultório que foi improvisado para virar sala de reuniões

Por sua vez, Olizandro ressaltou a importância do acordo, que vem ao encontro de uma necessidade urgente do morador de Araucária. “O nosso morador não poderia ser punido pelo fim da integração. Tentamos amenizar as dificuldades criadas por essas mudanças reduzindo a passagem dentro de Araucária para R$ 2,50, mas não foi o suficiente e foi isso que nos levou à parceria que estamos firmando com Curitiba agora. Tenho certeza de que esse novo modelo de parceria, diretamente entre os municípios irmãos, como é o caso da Capital e de Araucária, tem tudo para dar certo e quem ganha com isso é o usuário dos ônibus”, destacou.

Como será essa integração?

Na terça-feira, prefeito e vereadores foram ao encontro do governador

Na terça-feira, prefeito e vereadores foram ao encontro do governador

Os detalhes técnicos e jurídicos de como se dará a cooperação técnica entre as prefeituras de Araucária e Curitiba devem ser sacramentados até o final da semana que vem. O que está acertado por enquanto é que a integração entre as duas cidades será feita inicialmente por meio dos linhões 1 e 2. Basicamente esses ônibus continuarão a fazer os mesmos trajetos, com apenas algumas adequações. A diferença é que o ponto final deles será em terminais de Curitiba, onde os passageiros poderão fazer a integração com o transporte coletivo da Capital sem pagar uma segunda passagem. A expectativa é que esse novo sistema entre em funcionamento num prazo de dez dias.

Embora ainda não esteja sacramentada, a expectativa é a de que um dos linhões tenha ponto final dentro do Terminal do Pinheirinho e o outro dentro do Terminal Capão Raso. No caso deste segundo, existe a possibilidade dele passar pelo Terminal da CIC, mas apenas para desembarcar passageiros.

Ainda conforme o diretor presidente da CMTC, Sandro Martins, os passageiros poderão utilizar o cartão da URBS nos linhões. Outra informação importante é que os linhões não passarão pelos terminais dentro de Araucária. Ou seja, o passageiro que quiser ir para Curitiba pegará o Linhão 1 ou 2 diretamente nos bairros onde moram e vão desembarcar só na Capital. “Isso evitará aquela baldeação que existe hoje, onde o passageiro precisa pegar um alimentador no bairro, ir até a rodoviária para só então embarcar num ônibus metropolitano”, pondera Sandro.

Outro detalhe que também deve ajudar a diminuir o tempo do passageiro dentro do busão é que esses linhões, tão logo adentrem o território da Capital, não vão parar nos pontos comuns, somente dentro dos terminais. “Os linhões vão pegando os passageiros nos pontos de Araucária como é feito hoje e assim que chegarem a Curitiba tocam reto para os terminais, pois o objetivo dessas linhas é possibilitar a integração com o transporte coletivo da Capital”, enfatiza Sandro.

Texto: Waldiclei Barboza / FOTO: SMCS/PMC / WALDICLEI BARBOZA / DIVULGAÇÃO

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*