Home / Notícias / Política / Prefeitura banca reajuste exigido pela Comec e integração do TRIAR com os terminais de Curitiba está garantida para 2018

Prefeitura banca reajuste exigido pela Comec e integração do TRIAR com os terminais de Curitiba está garantida para 2018

A economia gerada aos cofres municipais com a extinção da Companhia Municipal de Transporte Coletivo (CMTC) garantiu na última semana mais um grande benefício aos usuários do transporte coletivo de Araucária: a manutenção da integração do sistema TRIAR com as linhas metropolitanas.

A integração já existe há vários anos, mas sempre porque a Prefeitura se comprometia a pagar uma contrapartida à Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) para subsidiar as linhas Ligeirinho, Avenida das Araucárias, Portão e Pinheirinho. Nas discussões para prorrogar o convênio para 2018, no entanto, à Comec informou que seria necessário reajustar o valor pago pelo Município. Do contrário, a integração não seria possível.

Até este ano, o custo mensal da integração para a Prefeitura de Araucária era de R$ 400 mil para manter as linhas metropolitanas. A Comec, no entanto, informou que seria necessário um acréscimo de R$ 60 mil mensais para o ano que vem. Por ano, só o acréscimo significa R$ 720 mil a mais saindo dos cofres públicos municipais. Isto sem contar os outros R$ 150 mil referentes à linha Angélica-Pinheirinho, criada agora em 2017.

De acordo com o prefeito Hissam Hussein Dehaini (PPS), os R$ 720 mil a mais que a integração custará à Prefeitura em 2018 só poderá ser bancado graças a economia gerada pela extinção da CMTC. “A estrutura administrativa daquela companhia custava muito ao morador de Araucária e é só graças a extinção da CMTC que teremos dinheiro para bancar esses R$ 720 mil a mais que vai nos custar a integração. Assim como é graças ao fim da CMTC que estamos conseguindo reduzir a tarifa do Triar para R$ 2,90, a gratuidade para estudantes irem a aula e a domingueira”, afirmou.

Assinado

O novo convênio que garante a integração para 2018 foi assinado no dia 21 de dezembro pelo prefeito, pelo secretário de Estado de Desenvolvimento Urbano, João Carlos Ortega, o diretor-presidente da Comec, Omar Akel, o diretor-presidente/liquidante da falecida CMTC, Luciano Stall. As linhas serão sendo de responsabilidade da empresa Araucária TC, cujos representantes também estiveram presentes à assinatura da renovação do termo de cooperação.

O valor firmado para o período prorrogado de um ano é de R$610 mil, sendo R$460 para a integração e R$150 mil para a linha Angélica-Pinheirinho, o que resulta num custo anual para a Prefeitura de R$ 7,3 milhões.

 

Texto: Waldiclei Barboza/ Fotos: Everson Santos

Sobre Redação

Redação

2 comments

  1. Hissam muita gente esta elogiando seu primeiro ano e eu tambem.Porem uma pauta que estava sendo falada muito no começo de tudo,os cachorros de rua e os insuportaveis fogos barulhentos.Muitas cidades estao impedindo e aqui?Inclusive alguns vereadores colocaram nas suas pautas,esqueceram??Fogos barulhentos machucam cachorros,matam passaros e nos hospitais doentes ficam agitados e doentes que vao pra casa pros familiares cuidar ficam mais agitados ainda e ai?é questao de meios ambiente e crime ambiental e de saude publica

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*