Imortal

Voltando do entéro do finado Firmino, coitado moréu de vinho branco, foi atravessar asfalto dexô passar caro verméio vinho branco e pegô iéle. Iéu vendo as dificuldade que família tendo pra enterar o morto. Tivéron que nas pressa fazer cova, fizéron na tera mesmo porque non encontraron pedréro que construísse túmbalo da nóite pro dia. Tiveron que emprestar dinhéro pra caxón proque família non tava esperando uma morte ton rápida. Tivéron que ajeitar casa pro velório, fazer kuque e broa nas pressa pra dar cafézón pro povo, comprar ropa pro morto e pro resto da familia pra ir na igreja, pagar gasolina pra buscar padre pra fazer missa de corpo presunto e ainda von gastar com documento e devogado pra fazer partilha. Iéu ficando pensando, depois de morto a gente dando mais trabaio que quando tando vivo. Iéu ficando pensando que quando ieu batendo bota vai acabar incomodando os otro também. Mas quem será que se incomodando com iéu despóis de morto se de vivo ninguém se incomoda? Pra non virar almoço de urubú, foi no cemitério ver se encontrava lugar onde cair morto, de preferência perto de parente, pra matar saudade eterna. Iéu encontrando lote vazio do lado de túmbalo do finado avô Chico Duppa, iéu sempre gostando de iscuitar as história do falecido avô que achando que formemo uma boa dupla de contaçón de causo. Iéu pagando taxa pro cuidador de cemitério e foi atrais de pedrero pra construçón do túmbalo. Home mesmo sendo especialista em túmbalo, inté mostrando revista de modelo dos túmbalo que estando na moda. Iéu acertando entón construçón de túmbalo de soltero pra sair mais barato, em fórma de caróça com roda de cimento pra cavalo nenhum conseguir puxar. Foi conversar com Dona Margarida que sempre fazendo os bolo de festa da Igréja se iéla non aceitando encomenda pra velório, Dona Margarida dizendo que tendo plano especial pra velório, desde o mais simple inté o mais sufisticado com bifê de bolo despois da missa de sétimo dia, mais que só aceitando pagamento adiantado proque morto non pagando as conta. Iéu acertando o mais simplinho com dois tipo de broa, xaxixón verméio, mortadela, salame rosa e kuque de polaco. Bém, agora só faltando acertar os sirviço funerário e foi pra cidade comprar plano da Funerária São Bento, sua morte nosso sustento, Iéu acabando parcelando no carnê em 12 méis mas se moréndo antes iéles garantindo pelo menos caxón e 4 vela extra. Inda faltando uma coisa, como povo vai saber que sou iéu enterado? Entón foi bater retrato e mandar fazer o bronze com fotografia, moço foi preguntando qual o dia da morte, bem, iéu mandando dexar em branco que sendo só escrivinhar com pincel atômico despois. Moço achando estranho, como que indo fazer inscriçón pra ponhar no túmbalo sem dia de morte, entón iéu foi explicando que iéu já increvendo um livro e mais de quinhentas história no jornal, enton moço estanhando os zóio e perguntando se iéu que sendo o Isidório, iéu confirmando com cabeça, enton moço pedindo otógrifo e dizendo que lendo o livro do Isidório e todas as culuna e que iéu podendo entrar na Academia Brasileira de Letras Polacas e virando um Imortal. Quando moço me dizendo iésto iéu cancelando todos os negócio que fazendo, proque iéu vai se preocupar com morte se podendo ser um Imortal?


Publicado na edição 1136 – 25/10/18

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*