Home / Colunas / Isidorio Duppa / Redução de estômago

Redução de estômago

Iéu levando susto que quase caiéndo sentadon no chón quando iéu déu de cara com a Rosilda, aquela moça que antes pesando uns cento oitenta quilo, que usando quinze metro de chita pra fazer vestido curto, que pra andar de altomóvel tinha que ter traçon até no estepe, que pra dança sokoua tinha que ter pelo menos habilitaçon do tipo C, que non podendo ficar parada nas esquina que prefetura já vinha querendo cobrar IPTU, agora estando ton ajeitada, magricela, bunitona, um toresmon. Nóis se encontremo na entrada pra missa de domingo e iéla abriu sorison pra iéu, no começo iéu pensando que podendo ser gente da cidade que anda béi arumada, mas quando iéla chamando iéu pelo nome sendo a mesma vóis da Rosilda. Iéu perguntando se iéla pegando doença ruim por ter perdido tando kilo de banha e Rosilda foi contando pra iéu que fazendo reduçon de estomo e despois dando umas esticada na cirurgia plástica. Iéu sempre fugia da Rosilda nos casamento, nos baile de colônia, nas festa de igreja, na verdade iéu sempre tendo medo mesmo que iéla queresse casamento e iéu podendo acabar morendo amassado se durmindo do lado dela, despois non cumbinando muito porque iéu sendo mais baxinho, iéu era magro, hoje em dia só bariga crecida porcausa das piwo que incomoda poco. Coitada da Rosilda, nunca cunseguiu casamento por causa das banha, iéla só non ficando pra titia porque non cabia na casa da tia dela, por iésto féis meia-água no fundo do tereno pra morar, mas agora que perdeu uns cento e vinte quilo vai ficar fácil arumar marido, mesmo tendo passado das idade, béi, iésto non importando muito hoje em dia, tanta da muiér madurona namorando com rapaiz de vinte ano, morando junto e néi casando. Agora, Rosilda parecendo atrista de novela consegue da noite pro dia pretendente. Iéu falando pra Rosilda que quase non reconhecendo iéla de ton bunitona que iéla estando e Rosilda abriu tando o soriso que dente de oro refletindo no sol. Iéla enton cunvidando iéu pra ir na casa dela tomar um café. Sangue coréu mais quente nas veia, porque iéu mesmo estando interessado. Iéu ném tirando ropa de ir na missa e de tarde no domingo foi na casa da Rosilda, entrei na sala ensaiando falar pra iéla do meu interesse e falei coisa boba, ansim como, que bunita as cortina da casa, iéla falando que desmancho os vestido que ficarom grande e sobrando tecido pras toalha de mesa, pras cortina, pra forar gaveta e partelera, fazer lençol e capa de sofá. Sentemo no sofá, tomemo café, e iéu ensaiando falar pra iéla que estando muito interessado. Iéu tomando bule intero e coragem non vindo de contar do interesse, inté que iéla desabutuô um dos boton da blusa dexando aparecer o vale das teta, cruzando perna que parecendo o babado da anágua, me zoiô cuns zóio diferente, descalçando a sandália Anabela e no meu zovido perguntando se iéu estando interessado, iéu pra non perder oportunidade pensô, sendo agora ou nunca, limpô garganta do pigaro, tirô Chapéu, desabutuô camisa, ficô de pé na frente dela, tussiu umas duas véis, e finalmente iéu falô pra iéla, que estando muito, muito, muito interessado. Muito interessado em saber se reduçon de estomo tambéi fáis desaparecer bariga e mostrô barigon de cerveza pra iéla, proque as moça non perdem o interesse por iéu quando vendo bariga.

 

Publicado na edição 13/09/18

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*