Home / Colunas / Padre André Marmilicz / Jesus e a revolução do amor

Jesus e a revolução do amor

A vinda de Jesus ao mundo trouxe uma verdadeira transformação para a humanidade. O impacto causado pelas suas palavras, gestos e ações foi tão grande e transformador, que nós dividimos a história do mundo em antes e depois de Cristo. Com certeza, o mundo não é mais o mesmo depois que ele passou por esta terra. Tudo o que ele falou, tocou profundamente a vida das pessoas e continuará movendo a existência de muitos seres humanos. As suas palavras eram carregadas de um profundo amor ao ser humano, sobretudo, àquele mais pobre e excluído. Seu jeito todo era de ternura, de misericórdia, de uma compaixão pelos mais sofredores, sem limites. Ele simplesmente transformou o mundo, fez dele um lugar de irmãos, onde todos possam viver irmanados, um só pensamento e um só coração. Jesus foi simplesmente demais.

Este jeito de ser de Jesus escandalizou muitas pessoas, especialmente os seus próprios familiares. Diziam inclusive que ele estava possuído por um espirito mau, e que ele falava em nome de Belzebu. Olhando de longe, tentando entender os seus parentes, até acho que a reação deles foi normal. Acredito que eu agiria do mesmo jeito, impressionado com a força, com o carisma daquele homem. Viveu e se criou em Nazaré, como um homem normal, e de repente ele se transforma, começa falar que é filho de Deus, enviado do Pai. Seu jeito de ser muda radicalmente, e por onde passa, questiona as estruturas vigentes e anuncia o verdadeiro Reino de Deus. Escandaliza também os senhores do poder, os escribas e fariseus, acostumados a dominar as pessoas mais simples, a se julgarem os perfeitos, porque cumpridores fiéis da lei.

O que tinha de tão impactante este homem chamado Jesus de Nazaré? Com certeza, o que o movia era um amor profundo ao ser humano. Um amor sem limites, capaz de se doar plenamente em seu favor, de ir ao encontro do mais necessitado, de levantar o caído, de incluir o excluído e abandonado pela sociedade. Como bom pastor, foi ao encontro dos que se perderam e se desviaram do caminho da vida. Suas parábolas deixavam claramente esta certeza de um amor sem limites pelos que se afastaram de Deus, tais como, a busca da ovelha perdida, o filho pródigo e tantos outros exemplos claros de um amor ilimitado. Quando alguém que se perdeu reencontra o caminho da vida, ele faz festa para comemorar a sua volta.

Jesus foi um verdadeiro revolucionário, mas não uma revolução armada, através da força e do poder, mas pautada no amor. Só o amor pode transformar a humanidade, criar uma família onde reina a paz, formar comunidades de irmãos e uma sociedade justa e fraterna. Não há quem não entenda a linguagem do amor, tão presente na relação entre mãe e filho. O amor verdadeiro se doa, se sacrifica, sai de si mesmo, vai ao encontro do outro, se solidariza e se coloca pronto para ajudar aquele que mais precisa. O amor de Jesus pela humanidade é tão forte, tão profundo e pleno, a ponto de morrer na cruz para nos salvar. Você seria capaz de morrer para salvar a vida do seu irmão?

A humanidade precisa aprender com Jesus, que as armas não são os instrumentos adequados para que haja ordem no mundo. Violência gera mais violência, num círculo vicioso que não tem fim. A vingança jamais deixará um coração humano em paz. O amor, pelo contrário, aproxima os povos, une as comunidades, cria verdadeiras famílias e transforma o mundo. O verdadeiro amor se abre, vai ao encontro do outro, estende a mão e a exemplo de Jesus, cria novas relações entre os seres humanos. Viva, viva, viva a revolução do amor!

 

 

 

Publicado na edição 1116 – 07/06/2018

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*