Um amigo – Um tesouro | O Popular do Paraná
Home / Colunas / Padre André Marmilicz / Um amigo – Um tesouro

Um amigo – Um tesouro

Dia 20 de julho nós comemoramos o dia do amigo. Costumo dizer que parentes a gente ganha, amigos a gente escolhe. Quem encontrou um amigo, jamais morrerá, pois os amigos são um presente do céu. Ele aparece exatamente na hora que você mais precisa e permanece ao seu lado, nos momentos mais amargos da sua existência. Amigos são como anjos, enviados por Deus para nos proteger, nos animar e nos consolar; quando nos sentimos impotentes, incapazes e muito solitários, eles vêm para dar conforto, luz e esperança. Eles trazem um novo brilho, uma nova luz e um novo frescor em nossa vida. Uma pessoa sem amigos é uma pessoa triste, amargurada e depressiva, porque se sente muito só e abandonada. O verdadeiro amigo nunca nos abandona, pelo contrário, é ele o nosso arrimo e o nosso sustento no momento mais delicado da nossa existência.

Existem amigos de ocasião, de negócio, que estão próximos mais por interesse do que por gratuidade. Quando está tudo bem, quando a amizade lhes favorece, parece que são intocáveis e eternos. Mas, quando a situação piora, tanto emocional como materialmente, se afastam e se distanciam. Na Bíblia nós encontramos histórias de amigos aproveitadores, como é o caso do filho pródigo. Quando ele tinha dinheiro, todos o cortejavam, participavam dos banquetes e festas, mas quando a grana acabou, todos o abandonaram. Por isso, é preciso ter muito senso crítico na escolha dos amigos. Alguns aparentam uma coisa, mas por detrás tem interesses bem diversos, velados, que se percebem na hora da desgraça. Exatamente quando o amigo mais precisa, ele o abandona. É prova e sinal, de que nunca houve uma verdadeira amizade, mas apenas um jogo de interesses.

Existe uma passagem no Eclesiastes que diz: quem encontrou um amigo, encontrou um tesouro. Feliz é aquele que tem alguém com quem pode contar nas horas alegres e tristes; na alegria e na dor; na saúde e no sofrimento. Poder contar com alguém que nos entende, que sempre se coloca em nosso lugar, que pensa única e exclusivamente em nosso bem, é uma verdadeira joia rara. Num mundo onde os interesses pessoais estão acima do desejo de ver o outro feliz, a amizade assume um peso incomensurável. Poder partilhar e saber-se amado, apesar da nossa fragilidade, da nossa pequenez e da nossa miséria, é um dom precioso.

A amizade é sempre reciprocidade. Existe um intercâmbio de informações, sejam elas positivas ou negativas. A confiança é fator determinante na construção de uma verdadeira amizade e isso requer tempo. Não se torna amigo da noite para o dia, mas é consequência de um processo de aceitação, de valorização do outro, de defesa da sua dignidade, sobretudo, se percebe que alguém é realmente amigo, quando surgem os momentos difíceis e delicados da vida. Quantas amizades que pareciam ser fortes, marcadas por vínculos sólidos, se quebraram no momento mais delicado, quando o amigo mais precisava da compreensão do outro. Amizades quebradas, por causa de traições, dificilmente conseguirão ser consertadas. Permanecerá para sempre a dúvida, e ela gera insegurança e incerteza.

Neste dia do amigo, cultive suas amizades. Diga para o seu amigo o quanto ele é importante para você e nunca deixe de agradecer-lhe todo o bem que ele realizou em sua vida. Amizades se solidificam quando existem contínuas manifestações de bem querer e de gratidão. Quando se enaltecem os pontos positivos e se valorizam as qualidades do outro. A amizade vale mais do que o ouro, e quem encontrou um amigo, encontrou um tesouro.

 

Publicado na edição 1122 – 19/07/18

Sobre Redação

Redação

DEIXE UM COMENTÁRIO

Seu endereço de email não será publicado. Os campos requiridos são marcados com *

*