Início / Colunas / Waldiclei Barboza / A tocha não é a culpada

A tocha não é a culpada


Na próxima semana, a tocha olímpica passará por nossa cidade. Aqui, ela será carregada por 33 pessoas. Cinco foram escolhidas pela Prefeitura e as outras são indicadas pelos patrocinadores oficiais das Olímpiadas.

Particularmente, enquanto morador de Araucária e fã de esportes em que haja participação de atletas brasileiros, independentemente de qual seja a modalidade, considero legal que nossa cidade tenha sido incluída no roteiro da tocha olímpica. Enquanto pagador de impostos, não vi exagero no quanto irá custar à estrutura que o Município terá que montar para a passagem do símbolo máximo das Olímpiadas: algo em torno de R$ 10 mil.

Justamente por isso, penso serem desproporcionais algumas manifestações que têm sido feitas por aí para, pasmem, apagar a tocha olímpica. Tal atitude está mais para birra política do que qualquer outra coisa. Afinal, convenhamos, que culpa tem a pobre da tocha pelo descontentamento político de algumas pessoas. Que mal fez a pessoa que carrega a tocha para merecer receber um balde de água na cara ou mesmo um jato vindo de um extintor? Ora, tanto o símbolo máximo dos jogos olímpicos quanto a pessoa que o carrega não são culpados por exageros ou crimes que possa ter havido nas obras das Olímpiadas e muito menos pelo momento político atual de nosso país. Precisamos saber separar as coisas.

Há que se dizer ainda que lá em 2009, quando a cidade do Rio de Janeiro foi escolhida para ser a sede das Olímpiadas de 2016, a imensa maioria da população brasileira, incluindo nós araucarienses, ficou honrada, feliz com a possibilidade de termos os melhores atletas do mundo competindo em nosso país. Logo, é de uma hipocrisia gigantesca que agora, faltando poucos dias para o início da competição, passemos a querer boicotar os Jogos, apagar a tocha e outras tolices.

É lógico que muita coisa mudou de 2009 para cá. O momento econômico é desfavorável, o político então nem se fala. Isso, porém, não nos dá o direito de simplesmente deixar de respeitar os acordos que lá atrás foram firmados. Isso, claro, não quer dizer que você tenha que se vestir de verde e amarelo e sair por aí apoiando as Olimpíadas. Muito pelo contrário. Você pode até protestar contra a competição e pode fazer isso até aqui em Araucária quando a tocha estiver passando, mas – creio eu – deve fazer isso de maneira respeitosa, sem agredir aos que carregam o fogo olímpico, alguns dos quais são moradores aqui de nossa cidade, conhecidos e amigos nossos. E, o mais importante: sem agredir a imagem da Cidade Símbolo do Paraná, pois – ao fazer isso – você será tão canalha quanto àqueles contra quem quer protestar.

Comentários são bem vindos em www.opopularpr.com.br. Até uma próxima!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*