Home / Notícias / Policial / Adolescente mata o padrasto após discussão por conta de som alto

Adolescente mata o padrasto após discussão por conta de som alto

A noite desta sexta-feira, 30 de agosto, terminou de forma trágica para uma família do bairro Campina da Barra. Carlos Domingos Pereira foi morto após ter sido agredido pelo enteado, um adolescente de 17 anos.

De acordo com a Polícia Militar, tudo teria acontecido na residência da família, localizada na rua Prímula. A esposa de Carlos teria relatado aos policiais que o companheiro havia pedido para que seu enteado abaixasse o volume do som. O jovem se recusou e os dois acabaram entrando em luta corporal.

Outros familiares que também estavam na residência quando do acontecido informaram que o adolescente teria agredido o padrasto com chutes e socos na região da cabeça. Antes de desmaiar, Carlos ainda teria olhado para o enteado e dito “olha o que você fez”. Diante da frase, o jovem ainda teria pegado uma faca e dito “eu posso fazer pior”. A ameaça de esfaqueamento, porém, não teria se concretizado.

Após ter dito suas últimas palavras, Carlos ainda foi levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Planalto, mas lá já chegou sem vida. A médica que o atendeu informou ele apresentava manchas roxas no pescoço, hematoma na boca, escoriações e arranhões na barriga e braços.

Os policiais que atenderam a ocorrência ainda fizeram buscas para tentar localizar o adolescente, mas até a manhã deste sábado (31) ele ainda não havia sido apreendido. As investigações do caso agora ficam por conta da Delegacia de Polícia Civil de Araucária.

Sobre Redação

Redação

3 comments

  1. Avatar

    17 anos… O que a “Justissa” desse país vai fazer? Deixar preso uns três meses e depois soltar esse diabo na rua pra cometer outra atrocidade dessas com alguém inocente.

    PENA DE MORTE NESSE PAÍS JÁ!!!!!!!!!!!!!!

  2. Avatar

    Muito triste….
    Que as famílias busquem a Deus, todos sem excessão, precisamos de mais respeito e amor….
    Sentimentos a família e que a justiça seja feita.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*