Home / Notícias / Geral / Alunos da Guarda Mirim produzem histórias como atividade remota

Alunos da Guarda Mirim produzem histórias como atividade remota

A Guarda Mirim de Araucária, projeto coordenado pela Secretaria Municipal de Segurança Pública (SMSP), por meio do Departamento de Assuntos sobre Drogas (DASD), tem procurado manter as atividades com seus alunos, mesmo em meio à pandemia. A única diferença é que as atividades propostas, assim como a interação entre os alunos, acontecem através de um grupo de whatsapp. Eles ainda acompanham vídeoaulas pelo Facebook da GMI. Divididos em quatro equipes: Atenas, Esparta, Troia e Persa, os alunos já elaboraram trabalhos artísticos, fizeram mensagens em datas especiais e mais recentemente produziram estórias em conjunto.

O grupo escolheu um tema e cada aluno escreveu uma parte do texto, considerando a conexão dos fatos, até a conclusão da estória. “Foi uma atividade bastante interessante, que movimentou todos os integrantes do grupo, e as estórias que eles escreveram foram muito criativas”, disse o diretor da GMI, Jackson Leoni.

Acompanhe a seguir, um trecho de cada história

Equipe Tróia

A estória da equipe Tróia intitulada “O Sábio Viajante e Seu Mundo de Descobertas”, foi escrita pelos alunos Riba, Barros, Pedroso, Schnorr, Marcelino e Furtado.

“Era uma vez, um sábio viajante que carregava em sua mala muitas lições de vida, trazia em seu coração amores vividos, lugares conhecidos e tesouros perdidos. Andou por lugares nunca vistos, lugares mágicos, onde conheceu pessoas especiais que marcaram sua existência, aprendeu muito, mas em cada lugar que passava deixava um rastro de sonho…

Este homem, viajou para muitos lugares, aprendeu muitas coisas, no entanto havia uma terra em que gostaria de colocar os pés. A famosa Senegal, um país da África, muitas pessoas disseram horrores sobre tal lugar, porém ele acreditava que aquilo não era somente o que diziam, tinha esperanças de que tudo seria muito melhor, e com sua curiosidade sempre dizendo mais alto, decide viajar para lá.

O viajante sábio chegou em seu tão almejado destino, estava ansioso para saber o que encontraria.

Acabou encontrando uma vila, a qual estava abandonada, quase não existiam pessoas presentes. Mas ali próximo encontrou um menino brincando sozinho, e perguntou:

Querido menino por que está brincando sozinho? Onde estão as outras crianças?
O menino assim, responde:

Senhor, eu não tenho amigos, estou aqui sozinho.

E por que você não tem amigos, onde eles estão?
O sábio viajante torna a perguntar

Eles foram para um lugar melhor, ou acabaram morrendo, por conta da nossa pobreza.

Garoto não te preocupe, gostaria de escutar uma de minhas histórias?
Pergunta atiçando a curiosidade do menino, pois sabia que muitas de suas aventuras eram muito interessantes, e que carregavam tamanha aprendizagem….

Sim senhor, claro que quero ouvir.

Então abra bem os ouvidos e vamos lá.
O sábio viajante então começou a contar sua história:

Certa vez fui viajar para um lugar muito distante e lá vivia uma senhora bem velinha e sempre que acordava, ela estava cantando, não importava a hora.
E um dia eu fui até ela para perguntar porque ela estava sempre cantando e ela me respondeu:

Querido viajante por muito tempo fui uma pessoa triste e rancorosa, e depois de muito tempo, descobri que estava doente, uma notícia de grande impacto para mim, mas consegui me tratar e me curar e descobri que a vida é muito curta para não fazermos o que gostamos e por isso nunca paro de cantar…

O que achou da história?
O sábio diz, direcionando o olhar ao menino

Eu a achei muito interessante, mas o que faço com ela?

Aprender.

Aprender? Como?

Aprenda com os ensinamentos da Senhora. Assim como ela, aproveite a vida, faça o que gosta, tenha esperança. A esperança move barreiras.
Você pode não ter amigos agora, mas um dia irá ter. O lugar onde você mora pode ter mortes, fome, e pessoas se deslocando, no entanto, não perca a fé, tenha esperança, acredite.
Mas claro, não deves ficar aqui parado esperando que tudo ao seu redor melhore, vá em frente, mude o seu destino, faça a sua própria história, aproveite a vida, e mostre essa esperança para as pessoas ao seu redor.

Muito obrigado pelas palavras Viajante, irei seguir os seus conselhos.
O menino se levanta de onde estava sentado, e vai em direção ao seu próximo destino.
E foi naquele momento que o Sábio Viajante soube que, mais uma vez ele deixou um rastro de sonho, uma lição vivida, e que aquele menino faria diferença nesse enorme mundo….
Seguindo com sua viagem, o sábio decide ir para um país mais famoso, mais movimentado. O seu próximo destino seria Las Vegas, Estados Unidos, conhecida por seus cassinos. O mesmo não sabia, o porquê de querer ir para lá, só sabia que algo grande o esperava.
Assim ao chegar em seu destino, decide ir aproveitar a vida noturna, passeando pelas calçadas daquela enorme cidade.
O sábio fica impressionado com a exorbitante variedades de luxuosos prédios, e cassinos daquele lugar. Mas derrepente, um baque enorme, o faz prestar atenção no que acabara de acontecer, homens encapuzados estavam saqueando um pobre senhor. Como este viajante, tinha um coração gentil e bondoso, decide que o ajudaria. Assim como nos filmes, foi fantástico, ele lutou
contra esses bandidos, os prendendo com uma corda, que coincidentemente estava perto de onde acontecera tal ato, esperando os policiais chegarem, para os colocarem atrás das grades.
Enquanto esses rapazes da lei não chegavam, ajudou o pobre senhor com os seus ferimentos, e ainda restou um tempinho para que contasse um velha história que acontecera com o mesmo, alguns anos atrás:

Os senhores gostariam de ouvir uma velha história?
Pergunta o Sábio Viajante, aos agora presos, que em seguida inicia a sua jornada ao passado….

Por que o senhor iria querer contar uma história?
Um desses homens disse.

Para os senhores refletirem sobre o que fizeram.

Não queremos ouvir histórias velhas.
Mesmo assim o sábio, começou:

Antes de ser um sábio viajante, obviamente eu era um menino comum, que não tinha motivos para se preocupar com nada, além de ser mal criado, e provocar outras crianças, que moravam em meu bairro, parece que não, mas já fui alguém assim. Até que, aconteceu algo que marcou a minha infância. Era verão todas as crianças saíram para brincar, e assim como elas, eu também. No entanto, no momento em que sai de casa e me aproximei, todas correram com medo de quem era.
Com o meu coração partido, e rejeitado, voltei para casa, e contei o que aconteceu aos meus pais. Meus pais, sabiam que aquele momento chegaria, e que aprenderia algo sobre a vida. Assim eles me disseram, que a vida tem dois caminhos, o mal e o bem. No caminho do bem, teria muitos amigos e conseguiria realizar todos os meus sonhos, porém no do mal, não teria ninguém, seria sozinho, e nunca conquistaria o que tanto queria.
Então ao meus pais terminarem, percebi que o que eu fazia, e o que acabara de acontecer, era errado, e que estava indo para o caminho errado, não queria isso para a minha vida. E como a vida é assim, vivendo e aprendendo, decidi me redimir com todos, e me tornar um sábio viajante, meu sonho desde pequeno.

Mas onde está a lição?
O mesmo homem pergunta novamente, com uma entonação de deboche em sua fala.

Ora, os senhores escolheram o caminho errado, mas podem se redimir, e escolherem outro caminho. A vida é feita para isso, errar, errar, e aprender, vocês erraram, está tudo bem, é normal, porém precisam reconhecer isso, e
melhorar. Podem pensar que é tarde demais, no entanto, nunca é tarde para sermos pessoas melhores, e seguir nossos sonhos..
Exausto e faminto, o sábio viajante decide ir para Tókio, Japão, conhecido por sua culinária diferenciada e seus hotéis aconchegantes.
Chegando na enorme cidade, vai à procura de um restaurante para se alimentar, pois ainda não tinha cuidado da sua saúde alimentícia. Depois de se lambuzar, e experimentar diferentes pratos, sai novamente à procura de um lugar, mas desta vez, seria um hotel. Quase perto do seu destino, começa a escutar gritos, como o mesmo estava muito cansado, não ligou muito para isso, deveria ser algo de sua cabeça. No entanto, um pouco mais a frente, ele observa uma cena horrenda, homens enormes, carregando a força, uma frágil donzela em perigo, para dentro de um carro preto. Ele deveria salvá-la, seria o certo, não é.

De que adianta ajuda-la, posso me ferir novamente, ou pior, e estou exausto. Porém, o que ela deve pensar? Deve estar morrendo de medo.
O viajante pensa consigo mesmo, e no mesmo instante cria coragem e corre para ajuda-la. Ao chegar perto de onde acontecera esta cena, os sequestradores, partem, saindo daquele lugar, o sábio se sente triste e decepcionado, não deveria ter feito aquilo, este não era ele.

Deveria tê-la ajudado. Quer saber….. Vou atrás dela, e salvá-la.
Rapidamente consegue um veículo, e persegue tais homens, chegando em um beco, que mais a frente existia um galpão. Depois de criar tanta coragem, corre até eles, e consegue tirar essa donzela do perigo, assim os dois correm os mais rápido que conseguem, despistando esses sequestradores, depois de um tempo, os dois resolvem esta situação.
O aventureiro estava exausto, só queria uma cama para dormir, depois de tudo aquilo, achou um hotel, e se aconchegou, mas ele estava contente, pois aprendera uma nova lição, a empatia.
Nas sua viagens ele ensina muita coisa, no entanto também aprende muito, mesmo já sendo sábio, em muitas questões, sempre podemos aprender mais….
Depois dessa aprendizagem, e de descansar, pela manhã o sábio decide ir para Paris, França, conhecida por ser a cidade do amor. Como o sábio não sabia o que era esse tal amor, ficou instigado a descobrir.
Chegando em Paris, ele observou cada detalhe daquela cidade romancista, os casais, pontos turísticos, culinária, arquitetura, tudo, mas se perguntava o porquê de esta cidade, ser conhecida pelo seu romantismo e amor. Então curioso, decide perguntar para as pessoas que passavam na rua, o porquê disso, e o que seria esse tal amor.
Uma primeira pessoa passou, e o mesmo perguntou, porém não obteve o resultado esperado.

O amor é algo inexplicável, você simplesmente sente, e derrepente está amando alguém. E está cidade é conhecida por isso, fazer casais se apaixonarem.
Uma segunda pessoa responde, no entanto ainda tinha dúvidas sobre aquilo.

Com licença Senhorita, tenho algumas perguntas, você poderia responde-las? Por que estás chorando?
O sábio pergunta a uma bela moça, que estava sentada a beira de um rio, aonde eles se encontravam.

Meu namorado terminou comigo, ele diz que achou alguém melhor e muito mais bonita.
A senhorita responde ao viajante, secando suas lágrimas.

E você acha que seja menos bonita ou inferior à ela?

Sim, se ele terminou comigo, é porque sou feia, ou não sou interessante, ou seja os dois, sou assim tão ruim?
A jovem diz, e direciona o olhar ao sábio
Mas….. espera, esta seria a moça que ele salvara em Tókio, isso não seria possível, o que estavas fazendo aqui?

Eu já não te conheço? Te ajudei em Tókio….. Rosa não é?

Ó sim, como se lembra do meu nome?

Eu nunca esqueceria esse per de olhos azuis, mas o estás fazendo aqui?

Moro aqui, quando estive em Tókio, fui apenas para trabalho.

Que coincidência enorme, mas gostaria de escutar uma história bem antiga?

Com todo respeito, por que deveria escutar? Isso não vai me ajudar.

Apenas escute…..há muito tempo atrás, quando eu estava no ensino médio, além da pressão que a sociedade impõe sobre quem seremos, e as notas que devemos tirar, temos a pressão dos alunos. Todos os dias, eles me maltratavam, meninos maiores que sempre me diziam que eu não seria ninguém, que era feio, e às vezes me comparava à eles, e me sentia muito inferior, minha autoestima não existia. Porém, com tempo, aprendi que a sociedade sempre vai te julgar não importa quem seja, ou que queira ser, sempre. Então não importa, quem você é, quem você vai ser, o quão bonito é, o importante é ser você mesmo, seguir os seus sonhos e acreditar em si mesmo, o que minoria das pessoas sabem, é que a beleza sempre vai vir de dentro e nunca de fora, e que uma vida feliz, só é feliz com você feliz, fazendo o que gosta. Jamais ligue para o que dizem de você, sempre haverá alguém para fazer isso, és maravilhosa do seu jeito.
Depois da fala do viajante Rosa, desmoronou a chorar.

Conseguiu aprender com a minha história?

Sim, obrigada por me contar.

E foi naquele momento em que a bela moça soube que ele era o cara certo, mas não por sua beleza, e sim por ser quem é, o seu caráter. E cá entre nós, essa senhorita sempre foi apaixonada por este viajante, e ansiava para encontrá-lo.

No momento em que seus olhos caíram sobre os do sábio, suas galáxias se conectaram, e aconteceu algo que conhecemos muito bem, amor à primeira vista, mas ela só soube que era amor de verdade, quando o encontrou à beira deste rio, na cidade do amor.

Esta foi a última viagem do sábio, afinal ele encontrou o que procurava.

Quem sabe o que acontecerá depois dessas descobertas, talvez mais viagens, ou um romance, nunca sabemos o que está por vir, só podemos acreditar e ter esperanças.

Equipe Persa

A equipe Persa escreveu a estória “Uma Noite de Estudos Tenebrosa”, de autoria dos alunos Corte, De Jesus, Gonzaga, Cordeiro, Domingos, Zorzanelo, Dos Anjos, Alencar, Abreu, Vaz, Fernando, Assis, Toth e Lopes.

“Era 19 de agosto de 1996 nos Estados Unidos Florida, Henry estava estudando em seu quarto, se preparando para fazer uma prova que teria na escola, ele precisava se preparar porque a prova seria de nível avançado. Ele ficou horas estudando até que ele pode escutar os passos de sua mãe subindo as escadas, e a cada passo que o garoto escutava, não parecia ser uma simples pessoa como pensava que seria, mas ainda escutava a voz de sua mãe a se aproximar de seu quarto, o causando um certo calafrio em seu corpo.

A pessoa que ele achava que fosse sua mãe abriu a porta, ele percebeu que não conhecia a pessoa, então pulou a janela e saiu correndo. A noite estava com muita névoa, então ele olhou para trás e percebeu que a pessoa misteriosa estava correndo atrás dele, com muito medo decidiu se esconder atrás de um arbusto.

Era 19 de agosto de 1996 na Florida, Estados Unidos. Henry estava estudando em seu quarto se preparando para fazer uma prova que teria na escola, ele precisava se preparar por que a prova seria de nível avançado. Ele ficou horas estudando até que ele pode escutar os passos de sua mãe subindo as escadas, e a cada passo que o garoto escutava não parecia ser uma simples pessoa como pensava que seria, mas ainda escutava a voz de sua mãe a se aproximar de seu quarto o causando um certo calafrio em seu corpo. A pessoa q ele achava q fosse sua mãe abriu a porta, ele percebeu q não conhecia a pessoa, então pulou a janela e saiu correndo ,a noite estava com muita névoa então ele olhou para trás e percebeu que a pessoa misteriosa estava correndo atrás dele, com muito medo decidiu se esconder atrás de um arbusto. Então ele parou para conversar com a pessoa estranha e ela disse que não queria machuca-lo e disse que queria ajuda para deter o Hulk Agiota, um dos maiores criminosos e braço direito do maior causador do caos mundial que se auto intitula Nego Ney.

O menino ainda assustado, decidiu fingir ajudar o homem, pelo menos até ele chegar em sua casa e ficar seguro, então ele perguntou: “O que eu posso fazer para ajudá-lo?”, e então o desconhecido percebeu que o menino estava só enrolando e decidiu levar ele a um lugar mais distante de sua casa, foi quando o menino se deparou com varios homens num beco escuro mal iluminado, com medo se apressou para não ter contato nenhum ele começou a correr, e pensou estar sendo perseguido até que simplesmente tudo escurece, e quando a luz volta, o pobre garotinho ainda está dentro de casa escutando os passos de sua mãe a ir para seu quarto, até que ele escuta sussurros perto de sua orelha e todos que estavam em sua pequena ilusão estavam mortos em seu quarto, quando ele olha para os lados não vê mais ninguém, ele saí correndo do cômodo para um corredor comprido, enquanto ele corria o chão atrás dele ia caindo num abismo, ele chega no fim do corredor que era sem saída e acaba caindo no abismo também, quando ele olha para o lugar está em uma dimensão completamente diferente Ao olhar em volta ele se vê em um lugar completamente sombrio, assustado e confuso ele tenta encontrar uma saída mas sem sucesso. Após algum tempo caminhando ele se depara com uma porta, essa porta dava em um galpão estranho, mais nesse tempo que ele é levando ele desmaia, quando acorda ele está amarrado em uma cadeira então as duas pessoas entram.

— Por que estou aqui? — O menino pergunta.
— Você veio no lugar errado e quando isso acontece, nós temos que matá-lo.
Com isso acorda com um susto, o rapaz havia adormecido em cima dos livros, mas mesmo assim se manteve acordado pelo resto da noite para saber se tudo que vivenciou era real ou apenas um terrível pesadelo.

Equipe Atenas

O Êxito de Liz”, foi escrita pelos alunos Pacheco, Souza, Nicole, Danescki, Nijo, Cytrynowski, Caetano e Marszalek, do grupo Atenas

“Há muitos anos atrás, em uma grande cidade chamada Atenas, existia uma pedra muito poderosa escondida, capaz de controlar todo o universo. Essa joia era guardada por uma semideusa chamada Liz, ela era filha de Zeus com uma humana, viveu até seus 15 anos com sua mãe, porém, por possuir a joia, outros deuses foram atrás dela. E com isso teve que fugir para bem longe, nessa jornada ela passou por várias cidades da Grécia, como Persa, Esparta e Tróia.

Admirada pelas esculturas côncavas e mercantes, cuja única função era vender ferramentas um tanto fúnebres e enferrujadas, Liz decidiu por Atenas ficar morando não apenas para garantir a sua salvação, mas também se habituar a um mundo que não havia visitado e conhecido antes. Diante da extensa produção de vinho tinto e também de cultos diários sem utilização de nomes, trabalhará aos 15 anos em um lago que cortava entre a fluvial, ensinando para as crianças, culturas de outras cidades, ler e escrever.

Há muitos anos atrás, em uma grande cidade chamada Atenas existia uma pedra muito poderosa escondida, capaz de controlar todo o universo.

Essa jóia era guardada por uma semideusa chamada Liz, ela era filha de Zeus com uma humana, viveu até seus 15 anos com sua mãe, porém por possuir a jóia, outros deuses foram atrás dela. E com isso teve que fugir para bem longe, nessa jornada ela passou por várias cidades da Grécia, como; Persa, Esparta e Tróia.

Admirada pelas esculturas côncavas e mercantes cuja única função era vender ferramentas um tanto fúnebres e enferrujadas, Liz decidiu por Atenas ficar morando não apenas para garantir a sua salvação, mas também se habituar a um mundo que não havia visitado e conhecido antes. Diante da extensa produção de vinho tinto e também de cultos diários sem utilização de nomes, trabalhará aos 15 anos em um lago que cortava entre a fluvial, ensinando para as crianças, culturas de outras cidades, ler e escrever.

Depois de um tempo na cidade, Liz resolveu procurar outro lugar para se proteger, porém acabou se perdendo e chegando a um lugar muito estranho. Ali onde que agora estava era uma ilha sombria abandonada por muitos anos. Sem saber o que fazer, Liz andou por toda a ilha procurando pessoas para que perguntar onde estava, ficou dias, até mesmo meses naquele lugar procurando alguém, até que encontrou uma casa bem velha toda destruída e foi nisso onde encontrou toda a história daquela península, contudo quando olhou uma parte muito escura da casa, um velho sábio chamado Menevest saiu e lhe deu um susto, o senhor caiu na gargalhada e logo se entenderam.

Então Liz pediu ao velho que contasse um pouco sobre o que aconteceu na ilha. Ele então pede para que Liz se sente, para contar o acontecimento.

-Esta ilha nem sempre foi assim, há muito tempo atrás ela era muito verde, cheia de cores e vegetações lindas espalhadas ao seu redor, mas infelizmente durante as trevas noturnas, fomos atacados por povos vizinhos que devastaram nossas casas e dizimaram famílias daqui.
(com lágrimas nos olhos o sábio continuou):

-Até hoje procuro saber quem nos atacou…

A cabeça de Liz estava muito confusa – e antenada -, ao passo que ao notar certa discrepância na narrativa, se levantou, bateu com ambos os carpos na fazenda de sua roupa e se despediu, agradecendo ajuda. Liz então decidiu viver nesta ilha com Menevest, ela contou sua história a ele e sobre a pedra que vinha protegendo… Foi assim que a moça começou a cuidar daquele misterioso lugar, fazendo com que sua beleza e árvores começassem a aparecer novamente.

Ao lembrar-se do poder da jóia extremamente poderosa. Utilizando-a trouxe a vida de todos os mortos.

Entretanto ao utilizar a jóia para “ressuscitar o passado”, custou a vida da semideusa Liz.

A pedra poderosa então começou brilhar mais forte do que nunca, sugando o corpo de Liz para dentro dela tornando-a mais poderosa ainda.

E assim os camponeses e o ancião da casa abandonada construíram uma estátua em sua homenagem. Presa no coração da estátua está a poderosa pedra mágica. A qual protege toda a cidade de Atenas (por ser a cidade que Liz trouxe prosperidade) e aquela pequena ilha.

Dizem que ao tentarem roubar a poderosa Jóia, o mesmo é condenado a sofrer a ira dos deuses, lançado num vazio extremo por toda eternidade.

Contam por toda a Grécia que há um jovem escolhido para utilizar o grande poder desta novamente, segundo eles é o filho de Poseidon com uma mortal, mas ninguém sabe quem é ele, apenas sabem que o nome dado a este semideus que é Teseu um dos heróis mais poderosos de toda a mitologia grega. Se tornando mais poderoso ainda após se ter todo o poder da jóia fluido em seu sangue, assim então decide entender o porquê ele se torna o portador indo a uma longa jornada. Chegando a ilha, encontra a estátua de Liz e pergunta aos moradores quem foi ela, assim eles contaram toda história.

Ao ouvir tudo, aproximou-se da estátua que partiu em diversos pedaços fazendo a jóia ir até Teseu.

E ouve uma grande voz e tremores no céu dizendo:

-“Teseu, hoje você se torna o novo protetor de Atenas e a ilha escondida, e todos aqueles que fizerem mal contra seu povo ou pretenderem invadir suas terras deverá ser punido pelo poder da Jóia”.

Sendo assim, Atenas se tornou a cidade mais bem protegida de toda a Grécia, e a com melhor educação.

Hoje o poderoso semideus vive em uma caverna escondida e sempre protegendo Atenas e a ilha com sua poderosa jóia.

Ninguém sabe por onde de certo fica sua caverna, apenas o governador e seu povo fazem uma enorme festa em sua homenagem todos os anos no mês de junho, com grandes banquetes e danças.

Teseu aparece uma vez a cada 10 anos para participar junto da cerimônia.

E presentear todo o povo com grandes riquezas tiradas de invasores estrangeiros.

“O fim, é penas um começo […]”

Publicado na edição 1212 – 14/05/2020

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*