Home / Colunas / Waldiclei Barboza / Apenas acredito!

Apenas acredito!


Esta semana, novamente, tive a oportunidade de acompanhar uma audiência de apresentação da proposta de lei orçamentária do Município para o ano de 2018. E, novamente, foi com um misto de decepção e entusiasmo que via os slides de como a arrecadação e a despesa municipal deve se comportar no ano vindouro, isso – claro – se tudo ocorrer conforme estimou a Secretaria de Planejamento da Prefeitura.

A decepção mencionada acima, diga-se de passagem, se dá porque, novamente, o plenário do anfiteatro da Prefeitura, onde acontecia o encontro, estava pouco ocupado daquelas pessoas que numa audiência, dita pública, realmente interessa. Ou seja, o cidadão comum, a liderança comunitária, o representante de conselho de controle social. Enfim, o povo mesmo!

E, não adianta, quando o cidadão comum não ocupa esses espaços, invariavelmente, quem o faz acaba ditando os rumos de nosso Município. E, mesmo que essas pessoas estejam bem intencionadas, as chances de que eles cometam equívocos ao elencar as prioridades do orçamento municipal é sempre razoável. Isso porque, sem discussão, sem ouvir o contraditório, sem conversar com as pessoas para quem as políticas públicas são teoricamente pensadas, não é possível entender e alcançar as reais necessidades de quem vive na terra dos briosos tinguis.

Araucária, com seus pouco menos de 150 mil habitantes e orçamento anual na casa de um bilhão de reais deveria ser uma comunidade com cidadãos mais presentes e efetivamente interessados na construção de uma cidade melhor. Isso porque o binômio muito dinheiro/baixa população deveria fazer com que vivêssemos num eldorado de prosperidade.

Infelizmente, no entanto, hoje isso não acontece. E boa parte da culpa é de quem não participa. O cidadão comum parece ter perdido a esperança em participar. Prefere terceirizar a sua responsabilidade para com a cidade onde reside. Terceiriza para o representante da associação de moradores, ou para o sujeito do conselho municipal, ou para o vereador, ou para o prefeito, ou para a imprensa, ou para a Justiça, ou para o Ministério Público. E, quando nada disso dá certo, simplesmente se conforma e acha que ele foi o esperto por não ter participado. Isso quando ainda não solta um “eu já sabia que não daria em nada” e vai para frente do computador reclamar desse pessoal todo aí de cima. Ora, o que ele não entende é que não deu certo justamente porque ele não participou.

Mas, apesar desse cenário de descrença popular, ainda acredito que o futuro, as próximas audiências, conferências e instrumentos de participação popular nos propiciarão debates mais acalorados de ideias. Por que acredito? Não sei! Apenas acredito!

Comentários são bem vindos em www.opopularpr.com.br. Até uma próxima!

Sobre Redação

Redação

One comment

  1. Avatar

    Na verdade essa falta de participação do Povo em geral é frustante em tudo ..isso quando vem a pergunta o que ganho indo lá…esse é quadro do nosso Brasil, e eu não sou tão otimista como você em acreditar…..Mas eu longe acredito sim que vou continuar recebendo noticias de Araucaria “Boas” ou “Ruins” ,através de você….abraçossss

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*