Home / Colunas / Isidorio Duppa / Aprendiz de coroinha

Aprendiz de coroinha


Tem coisa na vida que dando a maior sastifaçon do mundo, que fiquemo esperando pra realizaçon e esperando a oprutunidade do acontecimento, ansim iéu se alembrando de quando nos tempo de piazón, coisa que iéu mais querendo iéra ser coroinha oficial da missa pra tocar sineta na hora da consagraçon, iéu tendo a maior admiraçon do Roque Coroinha, que tocava aquela sineta parecendo musca pros zovido. Non tinha missa que o desgraçado faltasse e non dando chance pra iéu se oferecer. Enton iéu tendo idéia, iéu foi conversar com Roque pra ser assistente dele durante a missa, ansim podendo ficar mais perto da sineta. Roque ficando meio discunfiado que iéu querendo tomar lugar dele nas missa fazendo cara feia, mais enton iéu acabando convencendo iéle dizendo que as pessoa importante sempre tem assistente, ansim como Bispo tem o padre de assistente, o Padre tem o coroinha e o coroinha podendo ter o aprendiz de coroinha. Roque ficando pensando e acabando concordando, mais com uma condiçon, que iéu nem se achegasse perto da sineta na hora da consagraçon. Bem, só de ficar no altar durante a missa já garantia uma missa assistida de camarote. Roque enton começando a me ensinar as arte de ser coroinha, bem, na verdade, as arte que os coroinha fazendo. Iéu sempre achando que o coroinha iéra um sujeito privilegiado, porque saindo na hora do sermon do padre e assistindo da sacristia, mais na primera missa que iéu foi de assistente viu que coisa non sendo bem assim, Roque e iéu saiémo pra sacristia, mas invéis de ficar sentadon iscuitando sermon, Roque foi pra detrais do armário e pegando uma garafa de vinho, dizendo que primera liçon pra ser bom coroinha sendo descobrir onde padre escondendo vinho. Enton bebemo o vinho no bico da garafa, uns treis gole pra cada um, despois Roque completando com água, dizendo que já sendo preparaçon da consagraçon, mas na verdade, sendo pra padre non descobrir que vinho secando. Enton Roque dizendo que tendo que tirar bafo de vinho da boca pra padre non discunfiar na hora da comunhon, foi pegando caxa de forfe de acender vela, molhando ponta do forfe com saliva, riscando forfe e fumaça de saiéndo colocando na boca. Desgracéra Mésmo!!! Non sendo que funçonando? Bafo de vinho virando bafo de fumaça de vinho queimado. Ansim foi me explicando que coroinha non sendo santo e profisson servindo pras moça ficar zoiando em primero plano, sempre uma ou outra se interessando e tendo vantage que os pai das moça pensando que iéle sendo pessoa religiosa e non impedindo que iele passeando com as polaquinha no domingo de tarde. Iéu aprendeu direitinho os ensinamento do Roque, mais só faltando tocar a sineta, enton, despois de umas trinta missa, quando se achegando a hora da consagraçon, Roque dizendo que hoje iéu que tocando sineta. Coraçon pulando de alegria, non acreditando que se achegando grande dia, iéu tremendo de felicidade, empunhando sineta, non dexô nem padre falar, hora que padre falava “tomai e bebei”’ iéu mandava sinetada, hora que padre se ajoiava sineta parecendo sinfonia de sino anunçando defunto saindo, inté inchando cotovelo de tanto balanço da sineta. Bem, iéu foi dispidido da profison de coroinha, mais ficando tréis dia sem drumir só pensando na satisfiçon de ser o sinetero do dia.

Publicado na edição 1202 – 05/03/2020

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*