Baba-ovos!


Na semana passada, neste mesmo espaço, me pus a relatar uma conversa que tive com um conhecido na sala de espera de consultório odontológico. Na oportunidade, aquele senhor me disse acreditar que o “turco” leva as eleições municipais de 2016.

Sem discordar e/ou muito menos tentar fazer com que aquele cidadão mudasse de ideia, o questionei sobre quais seriam as propostas de Hissam para a cidade de Araucária. A provocação foi feita somente para ressaltar que até o momento o empresário não tem proposta alguma para fazer uma cidade diferente daquela que está posta aí. Ao recuperarmos o plano de governo apresentado por ele nas eleições passadas, constataremos a mesma coisa. As propostas eram vazias e feitas aparentemente de forma genérica.

O questionamento que fiz na semana passada a respeito de Hissam em nenhum momento tinha o condão de denegrir sua imagem. E qualquer pessoa que se pusesse a ler aquele texto com a mesma seriedade com que o escrevi chegaria a essa conclusão. Mas, em política, muitas vezes, os sérios se calam, guardam para si suas prudentes conclusões. Há ainda, assim como eu, aqueles capazes de externar seus posicionamentos sem paixões. E, confesso, fiquei muito feliz em ver e ouvir vários comentários a respeito do que escrevi construídos com certa base técnica. Pessoas que entenderam o que disse: que não se pode dar um cheque em branco a alguém que conhece pouco de administração pública simplesmente porque ele é um empresário que obteve razoável sucesso na iniciativa privada. Antes de lhe darmos o cheque ele precisa deixar muito claro o que pretende fazer com aquela folha. Até porque, em se tratando de Araucária, já tivemos casos de pessoas que pegaram esse mesmo cheque em branco e nos deram o cano.

Assim como houve os que entenderam e silenciaram e os que entenderam e se manifestaram, também teve a claque de Hissam, meia dúzia de baba-ovos, bajuladores, aduladores do empresário. Não falo aqui daqueles cidadãos comuns, que pelos mais variados motivos enxergam nele uma alternativa. Falo dos tradicionais parasitas políticos que esta cidade criou ao longo de décadas e que agora têm em Hissam um hospedeiro. Essa turma, como é praxe, se pôs a ver no que escrevi uma tentativa de desqualificação do pré-candidato do PPS. Algo que nem alguém com apenas um tico e um teco na cabeça seria capaz de concluir, se não fosse um baba-ovo iniciado.

Particularmente considero normal que os políticos tenham os seus baba-ovos, mas em se tratando de Hissam, o pré-candidato que tentar pintar como aquele capaz de promover uma ruptura com a velha política araucariense, é de se preocupar que tantos bajuladores iniciados estejam defendendo a sua candidatura. Afinal, como pode Hissam pregar o novo cercado daqueles que outrora eram baba-ovos de Zezé, ou de Olizandro, ou de Rizio ou até mesmo de Rosane? Ou, pior, alguns dos baba-ovos que agora estão com Hissam já foram lambedores de saco de mais de um dos citados acima. Eis aí mais uma pergunta que Hissam terá que responder aos araucarienses: é possível fazer um bolo com sabor diferente utilizando os mesmo ingredientes que os outros já utilizaram? Mas esta resposta não precisa vir agora, já que o empresário – no momento – deve estar cuidando de seus negócios particulares.

Comentários são bem vindos em www.opopularpr.com.br. Um bom Natal a todos e um 2016 de muitas vitórias para Araucária!

6 comments

  1. Rsrsrsrsssssss Eu curto quando o Waldiclei fica puto.

  2. “Comentários são bem vindos”… São mesmo? Depois desse texto eu fico achando que não…

    • Comentários são sempre bem vindo em colunas assim, porém com um mínimo de educação respeitando a opinião dos outros, e não impondo o que acha que é certo!

  3. e o que falar do sujeito conhecido como zé da mola?

    Era hissan

    foi para olixandro e agora parece voltar para o hissan

    Será que é só para defender o cargo de sua irmazinha, a incompetente do transporte escolar?

  4. Afff… Apavorou esse último parágrafo!!! Kkkk… Concordo plenamente!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*