Home / Colunas / Isidorio Duppa / Bares da Praça

Bares da Praça


Antes tempo quando vindo pra vila das Ourocária de ômbinus e percizando esperar horário da volta, ali na praça tendo muita opição de encher pança, tinha o Bar do Donato que servia pon com motadela e pinga com mentruis, o Bar do Pickt que fazéndo uma lingüiça com pon, no Bar do Léo tinha coxinha de carne moida, no Sezino uns papel especial de palmito que tudo mundo sabendo que o recheio sendo de broto de bambu, mais ninguém reclamando porque sendo uma delicia e despois tempo os bolinho de carne do Kinko sendo especialidade da casa. Nóis non tendo vergonha de pedir um golinho de pinga ou um gasosón vermeia, tudo mundo comendo que se lambendo nos dedo. Hoje em dia iéu inté se sentindo envergonhado de pedir as coisa escrivinhada nos quadro, ponharon umas palavra de americano tipo Xiszégue, Xisbeico, Xisburgue, que non sabendo proque tando dos Xis, se podendo variar de letra pra non fazer tanta confusón na cabeça, podendo usar um ipsolone por exemplo, mais o que importando sendo que iéu non pedido estas comida nova proque só sabendo falar em protuguéis e poco de polaco e pra non erar na pronunça iéu prefere mesmo ficar com fome. Mais iesta semana quando estando na vila estomo começando a roncar de fome e pra disfarçar iéu acabando comprando um pacote de rosca de vento, pelo menos engana fome com coisa leve e non estraga a janta. Iéu ponhndo pacote de rosca na sacola de nailo e percurô um banco da praça vazio pra fazer refeiçón. Poblema que tudos banco estando com gente, escoiéu um mais vazio que só tendo uma senhora sentadona, zoia, um torresmonzinho, com um livro na mon, parecendo ser bem educada, já que se vistindo que nem gente rica, non que seje com segundas intençón, mais vai que iéla puxando conversa e tempo passando mais rápido. Fiquemo uns cinco minuto sentado um do lado do otro sem zoiar uma pra cara do otro, de repente non sendo que aquela senhora mete a mon no pacote de rosca sem pedir, pega uma rosca e vai comendo? Iéu pensando, Desgraçada Mésmo, custava pedir? Iéu non falô nada, também pegô uma rosca e enguliu. Passado mais uns dois minuto a senhora pega outra rosca e vai mastigando sem zoiar na minha cara, iéu meio que encarando a senhora carcô mon no pacote de rosca. Passado mais uns dois minuto, de novo, a senhora nem largô livro e atacô o pacote pegando mais uma rosca. Desgraçada!! Mal educada, custava pedir que iéu dava com maior prazer. Iéu non perdeu tempo garantiu mais uma rosca. E ansim foi inté que sobrando só mais uma no pacote, sabe o que a lazarenta fazendo? Pegô a rosca e dividiu no meio, comeu metade e deixou a outra metade no pacote. Despois alevantando do banco e foi embora sem zoiar na minha cara. Desgraçada, devia ter poco mais de educaçón, comeu metade do pacote e nem pra agradecer servindo. Iéu ficando mais um tempo sentadon inté que foi pegar fumo na sacola pra fazer um paiero e o que eu encontrando? O pacote de rosca fechado!!! Iéu querendo morer de arependimento, non sendo que aquele pacote de rosca que a senhora comeu sendo iéla que tinha comprado e foi iéu que comendo a metade dela? E ainda,de ton educada dividiu a última rosca comigo? Agora iéu non sabendo onde ponhar cara pra esconder vergonha. Desgracéra Mésmo!!!

Publicado na edição 1206 – 02/04/2020

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*