Home / Notícias / Geral / Berçário completo permanece desativado

Berçário completo permanece desativado

CMEIs da região estão superlotados e com sérios problemas de manutenção enquanto um prédio novo fica sem uso e com as portas fechadas

CMEIs da região estão superlotados e com sérios problemas de manutenção enquanto um prédio novo fica sem uso e com as portas fechadas

Os pais de Araucária sabem que conseguir uma vaga para seus bebês nos Centros Municipais de Educação Infantil do município não é tarefa fácil. No entanto, os moradores do Jardim Dona Júlia, Dalla Torre e Tropical garantem que o problema seria amenizado na região se o berçário desativado na rua Targino Silva passasse a atender a população. “Desde que o CMEI Dalla Torre foi inaugurado, está pronto o berçário. Só que ele nunca funcionou”, afirma o se­nhor Ozeias Borges, morador da região e pai de gêmeos.

Segundo ele, essa situação faz com que mães que residem próximo dessa unidade precisem se deslocar até os centros infantis Iguatemi e Pequim, sendo que possuem um prédio novo com salas equipadas ao lado de casa. “O que é mais estranho é o fato de a Prefeitura dizer que faz todos os esforços para reduzir a fila de espera, quando, na verdade, se dá ao luxo de manter ocioso um espaço novo e de qualidade, não abrindo vagas para contemplar novas mães ou relocar crianças que estão distantes de casa”, pontua, indignado. “Afinal, queremos que a Prefeitura pare de administrar mal nossos recursos e aprenda a dar qualidade e eficiência para os equipamentos públicos”, completa.

Para piorar a situação, ele informa que os CMEIs utilizados atualmente pelos moradores da região estão superlotados e com sérios problemas de manutenção. “As cadeirinhas estão quebradas, ficam três ou quatro crianças no mesmo berço e há apenas duas atendentes cuidando do berçário inteiro”, denuncia Ozeias.

Resposta da Prefeitura

De acordo com a secretária de Educação Janete Miotto Schiontek, o Centro de Educação Infantil Dalla Torre realmente possui espaço para o berçário, mas faltam servidores para aten­der no local. “Nós já fizemos chamada para o último concurso e, assim que tivermos mais aten­dentes, pretendemos abrir”, promete. Além disso, ela informa que em todos os CMEIs da cidade é seguida a norma de um adulto para cada seis crianças.

Texto: Raquel Derevecki / FOTO: everson santos

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*