Início / Colunas / Waldiclei Barboza / Cada um no seu quadrado

Cada um no seu quadrado


 

Ao longo desta semana ouvi muitas pessoas razoavelmente indignadas com a decisão da Prefeitura de retirar a Estação de Transferência localizada na avenida Manoel Ribas.

Muita gente acusou a Prefeitura e, por consequência, o prefeito Hissam Hussein Dehaini (PPS) de estar dando atenção em demasia para assuntos que, em tese, não seriam prioridades para a população neste momento.

É óbvio que não se pode negar que há sim “prioridades mais urgentes” para nossa cidade quando se analisa globalmente as demandas da população. Porém, o que muita gente que anda criticando o prefeito não está levando em conta é a dinâmica da administração pública.

Digo isso porque, ora, há na Prefeitura diversas secretarias municipais, cada qual com atribuições específicas, as quais são estipuladas em lei e, dentro dessas responsabilidades, cada uma elenca suas prioridades. Logo, não é correto dizer que ao mexer no sistema viário está se deixando de lado a questão da saúde. Ou, que ao se mexer no transporte coletivo deixa-se em segundo plano a educação, só para ficarmos em dois exemplos.

O que precisamos entender é que, numa Prefeitura como a nossa, cada secretaria, cada secretário, precisa atuar em seu quadrado, trabalhar suas prioridades. Já pensou se a Secretaria de Urbanismo deixasse de lado as mudanças no sistema viário (consideradas por ela importantes) enquanto a Secretaria de Saúde não zerasse a fila de espera por uma consulta com um neurologista? Ou, ainda, se a Companhia Municipal de Transporte Coletivo (CMTC) deixasse em stand by a retirada da estação de transferência (tida por seus técnicos como desnecessária e onerosa aos cofres públicos) enquanto todas as crianças de nossa cidade não estivessem matriculadas num Cmei? Se a proposta for essa, devemos acabar com todas as secretarias e o prefeito que administre sozinho, resolvendo um problema de cada vez.

Obviamente não estou aqui defendendo e nem atacando as mudanças que estão sendo feitas. Com algumas concordo, com outras nem tanto. O que estou dizendo é que não é correto de nossa parte querer que o prefeito condicione a atuação de uma secretaria à de outra.

Dito isto, devemos é ficar mais atentos ao que as secretarias estão elegendo como prioridades dentro de sua área de atuação. Esta sim é uma discussão importante, pois se – por exemplo – a Secretaria de Educação estiver gastando energia para, por exemplo, comprar computadores novos a todos os alunos enquanto falta vaga em Cmeis para centenas de crianças, estamos diante de um problema sério. O mesmo vale para a Secretaria de Saúde, se ela estiver interessada mais na construção de uma sede linda para a Vigilância Sanitária enquanto faltam remédios nos postos de saúde.

Se situações assim estiverem acontecendo e o prefeito não fizer nada, daí sim devemos caceteá-lo. Do contrário, ainda é cedo para julgá-lo, pelo menos no que diz respeito a não eleger as prioridades corretamente.

Comentários são bem vindos em www.opopularpr.com.br. Até uma próxima!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*