Compartilhe esta notícia

Em duas sessões extraordinárias realizadas na terça e quarta-feira, 1º e 2 de junho, a Câmara de Vereadores aprovou o projeto de lei que reajusta em 3% os salários dos servidores públicos municipais. Agora, o texto segue para sanção do prefeito Olizandro José Ferreira (PMDB) e os novos valores passam a valer já a partir deste mês de junho.

Recentemente, a Prefeitura informou que para conceder os 3% de reposição salarial foi necessário um minucioso estudo das finanças públicas municipais e que, considerando o momento atual da cidade, era impossível oferecer aos servidores qualquer tipo de porcentagem acima disso.

Entre as razões dadas para o fato de a reposição não ter alcan­çado a inflação acumulada no último ano está a própria extrapolação por parte do Município do índice de gastos com sua folha de pagamento. Hoje, do total da receita corrente líquida da Prefeitura, incríveis 54,21% vai direto para o custeio dos salários do funcionalismo municipal.

Ainda conforme dados da Prefeitura, do custo total da folha de pagamento, algo em torno de 95% é referente ao custeio dos salários dos servidores efetivo e 5% de cargos em comissão.

Extensivo

O reajuste aprovado pela Câmara esta semana irá beneficiar ainda os servidores inativos e pensionistas da Prefeitura, além daqueles que trabalham no Poder Legislativo, no Fundo de Previdências e nas companhias da administração indireta: CMTC, Codar e COHAB. Prefeito, vice e vereadores não são beneficiados pelo reajuste.

Impacto

Para se ter uma ideia do custo da folha de pagamento da Prefeitura de Araucária, embora a reposição tenha sido de míseros 3%, ela custará aos cofres públicos R$ 6 milhões só no segundo semestre de 2016. Em 2017, estes míseros 3% representarão algo em torno de R$ 13 milhões ao contribuinte araucariense.

Texto: Waldiclei Barboza

Compartilhe esta notícia
Fechar anúncio