Início / Colunas / Sismmar / Capitalização da Previdência NÃO!

Capitalização da Previdência NÃO!


Entre confusões e recuos, o governo Bolsonaro, em pouco mais de duas semanas à frente do país, vem mostrando suas garras. O fim do Ministério do Trabalho e o novo salário mínimo (R$ 998,00) abaixo do aprovado pela comissão orçamentária na gestão de Temer (R$ 1.006,00) são apenas algumas amostras do que este desgoverno pretende fazer com a classe trabalhadora.

A retirada da Funai do controle da demarcação de terras indígenas; a exclusão dos LGBTIs da pasta dos Direitos Humanos controlada pela tragicômica ministra Damares Alves; e o fim dos Ministérios da Cultura e do Esporte são outros exemplos de como o Presidente eleito pretende conduzir sua gestão.

Com as primeiras medidas implantadas por este governo, não restam dúvidas de que os trabalhadores e as minorias serão os principais alvos dos ataques. A cereja do bolo neoliberal, por sua vez, deve ser o grande fetiche do ministro da Economia Paulo Guedes: a reforma da Previdência.

O que Guedes pretende fazer é acabar com a Previdência Social – na qual os trabalhadores e os patrões contribuem para o sistema – para instaurar em seu lugar a capitalização da Previdência. Com esse modelo, o Estado sairia de cena e obrigaria o servidor a fazer uma espécie de poupança a ser alimentada por ele próprio, sem ajuda do patrão.

É o Estado mínimo proposto por Bolsonaro desde o início de sua campanha. A proposta oficial de reforma da Previdência, como confirmou o ministro da Casa Civil Onyx Lorenzoni, deverá ser apresentada neste domingo (20) ao Presidente.

Mas, com o passado de Guedes e a simpatia de Lorenzoni pelo sistema de capitalização de Previdência individual adotado no Chile durante a ditadura de Pinochet, já é possível saber de que forma esse governo pretende dar fim à nossa aposentadoria.

O que o Chile tem a nos ensinar?

Idealizado por economistas neoliberais da Escola de Chicago iguais a Guedes, o sistema de capitalização da Previdência foi adotado no Chile em 1981. Na teoria, esse modelo prometia equilibrar a economia do país e estimular a criação de mais empregos, visto que a mão de obra seria barateada. Na prática, se mostrou frustrante.

Em 2008, um diagnóstico apontou que 49% dos adultos mais velhos estavam sem qualquer Previdência. Em 2018, quase 80% das pensões chilenas eram inferiores a um salário mínimo e 44% estavam abaixo da linha da pobreza. O resultado? Sem Previdência pública, hoje o Chile tem número recorde de suicídio entre idosos.

Não vamos deixar que isso aconteça no Brasil. Capitalização da Previdência NÃO!

FIRMES na defesa da nossa aposentadoria!

Publicado na edição 1146 – 17/01/19

Compartilhe

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.

x

Leia também

Prefeitura prepara “presente de grego” para o Dia das Crianças

Com a proximidade do Dia das Crianças e o histórico dos trabalhadores da Educação de cuidarem com todo carinho dessa data, diversas unidades começam a se organizar para realização de algum evento. Nesse momento da pandemia e fruto da pressão dos trabalhadores e da postura combativa do SISMMAR e do ...

Classe trabalhadora é esmagada enquanto governos surfam no populismo

Historicamente a classe trabalhadora é explorada, isso não vem dos governos atuais. Porém, é inegável que nos últimos anos os trabalhadores têm sido esmagados pelos governos federal, estadual e municipal. Enquanto Jair Bolsonaro aproveita a popularidade que o auxílio emergencial lhe proporcionou, os contratos de trabalho estão cada vez mais ...

SISMMAR segue firme na luta pela educação pública de qualidade em Araucária

O Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Araucária (SISMMAR) não abre mão da luta pela educação de qualidade social no município e, mesmo com tantos ataques da gestão Hissam, continua proporcionando formações fundamentais para os profissionais. Neste ano, o sindicato organiza, em conjunto com as entidades filiadas, a XXII ...

Covardia! Hissam não dialoga e manda GM partir pra cima de servidores

Nesta segunda-feira (17), o prefeito de Araucária Hissam Hussein Dehaini entrou para a história e ficará marcado pelo ato de covardia contra os servidores do município. Além de não dialogar com os trabalhadores e os sindicatos que os representam, Hissam utilizou-se da Guarda Municipal para agredir os servidores que reivindicavam ...

Sindicatos e servidores estão mobilizados em defesa do Fundo de Previdência

Muitos araucarienses devem ter ficado em dúvida sobre o motivo da manifestação organizada pelos servidores municipais nesta segunda-feira (10), em frente à Câmara de Vereadores. Portanto, é essencial que a população tenha conhecimento sobre os três ataques ao Fundo de Previdência Municipal de Araucária (FPMA) encaminhados pelo prefeito Hissam aos ...

Vereadores aprovam regime de urgência para calote no Fundo de Previdência dos servidores

Nesta segunda-feira (22), a maioria dos vereadores de Araucária aprovou a tramitação em regime de urgência do projeto de lei que permite um verdadeiro calote no Fundo de Previdência Municipal de Araucária (FPMA). Com isso, a Câmara Municipal tem até 45 dias para votar pela aprovação, ou não, do PL ...