Home / Colunas / Isidorio Duppa / Carroça de levar defunto

Carroça de levar defunto


Conton os antigo que falicido avô Chico Duppa sendo cunhecido na región por ter caróçón de capota, que ném aquelas dos filme de faroeste, e que fazia sirviço de transporte do povo para a cidade cobrando passage e ganhando a vida como taxista carocéro, saindo num dia pra cidade e voltando no outro de ton demorado que sendo a viagem, ansim, povo durmindo na cidade e voltando notro dia. As véis fazendo também sirviço de transporte de defunto que tendo que ser enterado na cidade, féis adaptaçón de um caxón estofado na caróça e levando o morto com todo conforto. Numa certa véis, chovendo uma semana sem parar as estrada estavon tudo alagada e tendo que transportar um morto que já estando na caróça a dois dia, non teve jeito, carcô caróça nas estrada, passando pelas banda de Guajuvira foi cercado por um pessoal dizendo que tendo um morto pra ser enterado na cidade, Vô Chico enton dizendo que já estando lotado de morto. Enton pessoal dizendo que o morto deles já fazendo uma semana que esperando transporte. Enton Vô Chico féis proposta, que se iéles ficasse com o morto mais fresco que iéle levando o defunto mais antigo, e na outra viagem iéle buscava defunto, e ansim acontecendo, descaregô o defunto no paiol e tranportô o defunto que mais tempo fazendo que tinha morido. Iéu só se alembrando desta história pra ver como as coisa mudarón pro tempo de hoje, nem bem esfriando corpo do véio Tiburço já se encostando na porta da casa tréis destes caro preto de funerária oferecendo sirviço, os tréis mortorista disputando no braço quem ficando com o morto, um dando mais vantage que o outro só pra pegar trabaio. O motorista da Caravan dizendo que se família optando pelos sirviço dele iéle dando coroa de graça. O motorista da Kombi dizendo que iéle ponhando anunço da rádio de graça e pagando gorjeta do covero. O motorista da Besta dizendo que iéle caregando morto e mais cinco pessoa e sendo mais moderno proque tendo som ambiente na Besta que tocando o “segura na mon de Déus e vai” com a orquestra sinfônica da Barerinha. A família do Tiburço non sabendo o que fazer, enton preguntando dos preço, tudo estando pela hora da morte, mais parcelando em 6 veis no cartón de crédito. Enton família dizendo que escoiendo o sirviço que sendo mais barato proque o véio Tiburço non sendo de muita frescura, os motorista começarón a baxar os preço,fazendo ansim tipo um leilón pra baixo, inté que quase estando na metade do preço dois disistirón e foron embora, ficando só o motorista da Kombi, que dizendo que pelo preço podendo fazer o entero standard, com caxón de compensado pintado forado com tecido de alpaca e vela de cinco dia. Fizéron o velório noite intera e notro dia aparecendo Kombi funerária, caregarón o caxon e saiendo caretata até o cemitério, non demorando cinco minuto de estrada, Kombi começando a pegar fogo, só dando tempo do motorista sair da Kombi. Motorista desesperado foi falando pra família que precisando uma indenizaçón proque perdendo instrumento de trabaio, enton falaron que non pagando nada a mais, porque iéles pediron entero normal e non sirviço de cremaçón.

Publicado na edição 1208 – 16/04/2020

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*