Home / Notícias / Geral / Casos de brucelose preocupam autoridades da saúde

Casos de brucelose preocupam autoridades da saúde

Foto: Jornal O Popular

Em apenas duas semanas, dois canis clandestinos localizados em Araucária foram fiscalizados e autuados por maus tratos a animais. Em um deles, foram registrados casos de brucelose, notificados pelas autoridades sanitárias, que já estão sendo devidamente acompanhados. O problema é que outros casos da doença já teriam sido diagnosticados no Município, e isso fez com que o Departamento de Vigilância em Saúde de Araucária e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente informassem a população sobre o que é a brucelose.

No dia 4 de agosto, a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA – Polícia Civil), em conjunto com o Departamento de Vigilância em Saúde de Araucária e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, realizou uma vistoria em canis particulares, locais onde se criam ou alojam cães na região rural de Araucária, em razão de resultados positivos para a contaminação dos cães por brucelose, doença que acomete algumas espécies animais. A Secretaria Municipal de Saúde solicitou informações complementares sobre as pessoas que mantiveram contato com sangue, urina ou secreções dos animais contaminados, realizando a orientação para que procurem a unidade de saúde para avaliação. Já a Secretaria Municipal do Meio Ambiente esteve presente na ação para deliberar quanto às questões administrativas referentes à fiscalização de possíveis maus tratos e licença ambiental.

A brucelose é uma zoonose, ou seja, doença que pode ser transmitida pelos animais ao homem, causada por bactérias chamadas Brucella sp., que acarreta problemas sanitários importantes. Seu início pode ser agudo ou aparecer aos poucos, caracterizado por febre (maior ou igual a 38°C) contínua, intermitente ou irregular, de duração variável. Os sintomas mais frequentes são: astenia (sem forças”, fadiga (cansaço), anorexia (falta apetite), mal-estar, cefaleia (dor de cabeça), debilidade, sudorese profusa e noturna, com odor ativo, calafrios, mialgia/lombalgia, artralgia, estado depressivo e perda de peso. Em alguns casos, podem surgir supurações (secreções) de órgãos, como fígado e baço.

Transmissão

A bactéria é transmitida por contato de escoriações (arranhões) ou feridas na pele com tecidos animais, sangue, urina, secreções vaginais, fetos abortados e, especialmente, placentas; ingestão de leite cru e produtos lácteos sem pasteurização, provenientes de animais infectados. A transmissão entre humanos é rara. Todavia, foram identificados casos de transmissão sexual, intra-uterina e por aleitamento materno. É uma doença de origem ocupacional, acometendo mais comumente agricultores, fazendeiros, veterinários, trabalhadores de frigoríficos e laticínios, além de outras pessoas que trabalham diretamente com animais.

Como posso saber se estou com Brucelose?

Se você faz parte do grupo de pessoas que, pela natureza de seu trabalho, se expôs ao contato com secreções, órgãos e/ou carcaças de animais infectados sem o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), e está apresentando alguns dos sintomas já descritos, deverá comparecer a Unidade de Saúde próxima de sua casa para avaliação médica para fazer exames específicos e, posteriormente, o tratamento, caso seja necessário.
Entre as medidas de proteção, o trabalhador deverá fazer uso de EPIs adequados sempre que for manipular os animais, independente de conhecer ou não seu estado sorológico, pois outras doenças também podem ser transmitidas pela manipulação animal. Não consumir produtos animais, especialmente os lácteos, sem antes ferver ou pasteurizar; não manipular excretas animais (urina, fezes) sem o uso de luvas e, posteriormente, proceder a lavagem das mãos.

Dois canis foram descobertos na área rural

O primeiro canil clandestino foi descoberto pela Polícia Civil do Paraná na área rural de São Miguel, em Araucária. Os animais eram mantidos em espaço inadequado, sem acesso a banho de sol e atendimento veterinário. Foram apreendidos 46 cachorros, a maioria de raça, como buldogue, pug, husky siberiano, cocker e yorkshire. Alguns estavam feridos e doentes.

Nesta terça-feira, 10 de setembro, a Polícia Civil encontrou 82 cachorros vitimas de maus-tratos em um canil no bairro Tietê. O local onde os animais viviam estava sujo e muitos deles estavam doentes – principalmente doenças de pele. Os cães eram das raças beagle, shitzu, pug, bulldog, spitz, lhasa apso e chow chow. “Muitos dos cachorros também estavam sem dentes, resultado do estresse por viverem em um lugar inadequado. Eles roíam as caixas plásticas do local e os dentes iam se desgastando”, explica o delegado Matheus Laiola, da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA).

Os proprietários dos dois imóveis onde estavam os canis foram autuados e multados pela Prefeitura de Araucária. Se condenados por maus-tratos, eles podem ser condenados a até um ano de prisão. No caso do Tietê, o dono ficará com os animais, mas foi estabelecido um prazo de 20 dias para que o canil fique em condições de manter os cachorros, que devem todos ser encaminhados para tratamento veterinário.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1180 – 12/09/2019

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*