Início / Colunas / Editorial / Contando os mortos

Contando os mortos


Araucária registrou em 2018 um crescimento de 33% no número de mortes violentas quando comparado ao ano de 2017. Foram 44 no ano passado contra 33 do ano anterior.

O levantamento foi feito por nossa reportagem, com base no banco de dados mantido por nossa redação, sendo que as informações foram posteriormente cruzadas com aquelas oficiais de órgãos como as polícias Civil e Militar e a Guarda Municipal.

A contagem de mortes violentas é feita pelo O Popular todos os anos, de modo a oferecer aos nossos leitores uma visão geral do crescimento e/ou diminuição da violência em nossa cidade. Obviamente, a simples leitura dos números não é suficiente para cravar como anda a sensação de segurança da nossa comunidade.

Sempre ressaltamos isto porque, por mais que toda vida perdida deva ser lamentada, muitos dos casos de mortes não necessariamente significam que a cidade está menos segura. Por exemplo, dos 44 mortos em 2018, seis são de pessoas que estavam em situações de crime e entraram em confronto com a Polícia. Da mesma forma, há casos de mortes que se deram em situação de brigas de pessoas sabidamente envolvidas com o mundo do crime, quase numa espécie de disputa por território para prática de ilícitos.

Interessante na leitura dos números de mortes violentas em 2017 é como quase a totalidade delas se referem a pessoas do sexo masculino. São 40 homens contra 4 mulheres e, talvez aí esteja o dado mais triste deste levantamento; é a faixa etária de quem acabou perdendo a vida: 22 deles tinham entre 18 e 29 anos. Ou seja, eram muito jovens e, embora a maioria deles tenha sido morta por consequência de envolvimento com drogas e prática de crimes correlatos, é preciso que nós, enquanto sociedade, paremos para analisar o que poderíamos ter feito para que isso não tivesse acontecido.

Publicado na edição 1147 – 24/01/2019

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*