Home / Notícias / Geral / Crianças mostram que soluções práticas e criativas podem transformar o mundo

Crianças mostram que soluções práticas e criativas podem transformar o mundo



Estudantes são instigados e buscar soluções para resolver problemas encontrados em determinadas situações. Foto: divulgação

Situações do cotidiano podem trazer grandes oportunidades de aprendizagem, contribuindo para a construção de um mundo melhor. Com esse lema, as crianças do Colégio Marista Sagrado Coração de Jesus, de Araucária, desenvolvem cinco Projetos de Intervenção Social (PIS). Os principais temas abordam Direitos Humanos, Meio Ambiente, Proteção aos Animais e Tecnologias. O PIS é realizado entre os estudantes maristas do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental durante o ano letivo, com propostas de investigação e intervenção, sugeridas pelas crianças e suas professoras, uma combinação de ideias com muito estudo e ações concretas.

De acordo com a diretora do Colégio Marista, Danielle Barriquello, o objetivo é mostrar que o conhecimento está a serviço da vida, do bem comum e que não há fronteiras entre a sala de aula e o mundo. “Os projetos também revelam a força transformadora das crianças, elas educam os adultos com suas análises e iniciativas”, explica.

Os estudantes analisam situações e são instigados a propor soluções para os problemas encontrados. Os projetos se transformam em ações, que são compartilhadas entre as crianças, em sala de aula, em casa ou até mesmo na comunidade em que vivem, com o objetivo de transformar realidades. Para o coordenador do Ensino Fundamental Anos Iniciais da Rede Marista de Colégios, Tiago Franceschini da Rosa, o PIS dá voz e autonomia para os cidadãos em estágio de desenvolvimento. “É comum que crianças não encontrem espaço para participar e opinar em assuntos importantes, entendidos equivocadamente como pertencentes ao universo dos adultos. Nosso projeto vem justamente para mostrar que por meio da pesquisa e da investigação é possível conhecer o mundo e formar uma opinião crítica desde cedo”, orienta.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1184 – 10/10/2019

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*