DEUS É AMOR


Toda ação de Deus é amorosa, em vista da plena realização do ser humano. Desde a criação do mundo até hoje, Deus se manifesta através de um amor cheio de misericórdia, bondade, ternura e compaixão. Dizer que Deus castiga ou que se vinga ou que impõe medo, culpa é não compreender a sua essência. Como um pai, ou, mais do que pai, como uma mãe, Deus só quer o bem de cada um e sua felicidade. Ele não se alegra com o mal, com a desgraça humana, com o sofrimento, com a divisão, muito pelo contrário, pois o verdadeiro amor une, aproxima, torna-nos irmãos. Ele dá a liberdade ao ser humano, que, infelizmente, muitas vezes não sabe usá-la de modo equilibrado e adequado.

    Desde o início da criação, é o amor de Deus que se faz presente. É o pai criador, que, em seis dias criou tudo o que existe e se move sobre a terra. E após ter concluído a sua obra, Ele viu que tudo era muito bom. Era o sétimo dia, o dia do descanso. Como é maravilhoso contemplarmos os mares, o firmamento, a terra, os animais, as florestas, e, sobretudo, o ser humano. Tudo foi feito com muito amor e a serviço da plena realização da raça humana. Infelizmente, a ganância humana, o egoísmo, o fechamento, o individualismo, a prepotência, acabam denegrindo aquilo que foi realizado com tanto amor. Vemos um planeta doente, enfermo, gritando por socorro, porque cada vez mais distante da obra divina original. Matas destruídas, rios poluídos, animais de rara espécie sendo exterminados, seres humanos em guerra entre si, marcados pelo ódio, pela maldade, pela mentira. É Deus chorando e como aquele pai cheio de amor, esperando a conversão e o arrependimento humano.

    Deus tanto amou o mundo, diz o evangelista João, que enviou seu Filho Jesus para salvá-lo. O distanciamento de Deus, a sua negação, levou o homem ao pecado, mas, o amor infinito do Pai, mandou seu Filho amado ao mundo, a fim de resgatar o seu rosto original. Todas as palavras, gestos e ações de Jesus, foram carregados de um profundo amor ao ser humano. Sua preocupação sempre foi com a saúde, a comida, direitos iguais, partilha, onde todos pudessem ter uma vida digna. Ele veio para todos, mas, especialmente para os mais pobres, doentes, marginalizados, excluídos da sociedade, porque o amor de Deus inclui, garantindo o bem estar para todos. Um Filho cheio de misericórdia, sobretudo, para com os pecadores, porque ele mesmo disse: ‘são os doentes que precisam de médico’. Ninguém amou tanto o mundo como Jesus, a ponto de, por amor, dar a vida para nos salvar.

    Este amor de Deus não se diluiu e nem se afastou com a subida de Jesus ao céu, mas continuou através da presença do Espírito Santo. Ele sempre age movido pelo amor, um amor que une,aproxima, transforma, cria comunhão, fraternidade e tem sede da verdade. O demônio é o pai da mentira. Quem tem o prazer de espalhar ou compartilhar Fake News (notícias falsas), certamente está cheio do Espírito Maligno. A liberdade de expressão está intimamente ligada com a busca da verdade, o respeito ao outro e a tolerância com quem pensa diferente.  “Discordo do que você diz, mas defenderei até a morte seu direito de dizê-lo” (Voltaire). O Espírito Santo nos envia em missão, sempre tendo como objetivo o bem comum.

 Mais do que nunca, necessitamos hoje deste amor divino, para que ele possa ‘invadir’ os nossos corações, nos livrando de tudo aquilo que destrói e arruína uma boa convivência humana. Deus é e sempre será amor, mas é preciso que nós nos deixemos inundar por este amor, sendo sinais vivos da sua presença, através de palavras, gestos e ações amorosas.

Publicado na edição 1215 – 04/06/2020


Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*