Início / Colunas / Isidorio Duppa / Dom da cura

Dom da cura


Iéu fói no guardamento da Dona Isabel benzedéra, coitada moréu engasgada com folha de alface, maior tristeza estando na roça, agora quém vai fazér os benziménto, as custura, as simpatia pra sarar as enfermidade do povo? também, iéla velhinha estando, quase uns cento e déis ano. Iéu ponhô mon na testa da coitada pra se despidir daquela santa que curô as minhas teta quando começaron a crescer no témpo de piazon. No velório eiscuitando póvo lamentando da morte da Dona Isabel e si quexando que iéla devendo dexar alguém no lugar pra póvo non ficar na mon, agora tudo mundo vai ter que lotar os postinho de saúde pra curar de doença. No armazém quando iéu foi tomar pinguinha despóis que saieu do velório pra voltar nótro dia pra entéro, conversando com Iskapinski, iéle reclamando de dor no péito caiéu desmaiadon que ném pedra, pessoal falando que iéra ataque do coraçon e que tendo que chamar ambulança, iéu ponhô as mon no Iskapinski pra ajudar e non é que Iskapinski abriu os zóio e falô que estando curado? se alevantô e falô que iéu féis milagre, de ton feliz, pagô rodada de pinga pra tudo mundo. Coréu notíça na roça que iéu curando Iskapinski só com as mon. Nótro dia tendo fila no porton de casa de génte com doença. Iéu ficô espantado, fila fazéndo curva na estrada, iéu non sabendo o que fazér fói falar com póvo e um alejado pediu pra ponhar as mon nas perna dele, iéu ponhô e non é qui o desgraçado jogô as muleta e saiu dando pulinho na estrada? Uma muiér com um papo de séis caroço pidiu pra ponhar a mon nos papo dela e non é que os papo sumiron tudo? uma criancinha tudo pintada de varicela aparecéu na véis, iéu ponhô mon e as pinta saiéron voando. Pois mon na cabéça do careca e cabelo aparecéu de cacho. Como pode sér, iéu non sabendo que tendo dom da cura, acho que despóis que ponho mon na testa da Dona Isabel Benzedéra, passô pra iéu as virtude da velhinha e iéu acabando séndo o novo curandéro. Fila já fazéndo volta na estrada e cada véis se achegando mais génte, de tudo quanto é canto, génte conhecida e disconhecida, desse jeito iéu vai perder de acompanhar entéro da Dona Isabel, ainda umas duzentas pessoa téndo pra ponhar as mon, mais se iésto é graça divina que iéu ajude os necessitado, e cuntinuô ponhando mon nos doente. Véio cego com a esposa e pidiu pra ponhar a mon nas vista, cego abriu os zóio e começo bater na muiér dele, dizendo que iéla tinha enganado iéle todos iéstes ano dizendo que iéla sendo ajeitada. Ótra muiér contô que marido non funçonando e pediu pra ponhar mon no…do marido, iéu non sabéndo o que fazér, cómo que vai ponhar mon no … mandô muiér esperar um póco e saiéu coréndo pra alcançar o entéro, quando quase enfiando o caxon na cova, na ultima abrida do caxon, iéu foi abrindo eispaço no povo e ponhô mon na testa de Dona Isabel, non é qui a velhinha abriu os zóio e ficô sentadona no caxon? Ainda reclamando que ninguém dexando iéla tirar soneca em paz. Bem, se milagre séndo iéu non sabendo, mais iéla que cuntinue com o serviço de cura e ponhando mon onde iéu non colocando de jeito nenhum. O dom da cura voltando pra Dona Isabel e desapareceu de iéu, bém agora que as hemoróida tom incomodando. Desgracéra Mésmo!!!

 

 

 

Publicado na edição 1119 – 28/06/2018

 

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*