A Delegacia de Polícia Civil de Araucária segue empreendendo diligências a fim de encontrar os autores e descobrir o motivo dos últimos dois homicídios em Araucária, o de Raimundo Damasceno, em 7 de agosto em um bar no jardim Turim, e o de Deigla Ceridiane Machado, em 10 de agosto, cujo corpo foi encontrado em um matagal no Thomaz Coelho.

Sobre o caso de Raimundo, sabe-se que ele havia saído da penitenciária há poucos dias e estava com tornozeleira eletrônica. A equipe de investigação apenas descartou um possível crime de latrocínio, mas acredita que o assassinato pode ter ligação com o tempo em que a vítima passou na cadeia, visto que possa ter tido alguma briga com outro detido e o acerto de contas foi fora do presídio. Ainda, outra linha de investigação diz respeito a uma possível desavença no bairro em que Raimundo morava, o mesmo em que o crime aconteceu.

Já sobre a morte de Deigla, após depoimentos de familiares e outras pessoas, a polícia descobriu que ela era usuária de crack e atualmente estava em situação de rua. “Apesar de estar morando na rua ultimamente, ela vivia em Curitiba”, contou um dos investigadores, acrescentando que nenhuma hipótese foi descartada.

Foto: Marco Charneski

Publicado na edição 1127 –  23/08/18

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.