Início / Notícias / Política / Escovas de dente saíram mais barato que o esperado

Escovas de dente saíram mais barato que o esperado



Apesar de terem o cabo emborrachado, escovas de dente ficaram bem em conta

A edição de O Popular que foi aos pontos de venda em 11 de março trazia o caso de uma licitação que a Prefeitura estava fazendo para materiais de consumo odontológicos para os postos de saúde da cidade. Ela estava gerando algumas dúvidas por conta das especificações exigidas pela Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) para compra de até cinquenta mil unidades de escovas de dente para adultos.

Acontece que o preço unitário máximo dessas escovas foi estimado em R$ 3,70, valor bem acima do que aquele constatado em licitações feitas em anos anteriores. Em 2012, por exemplo, o mesmo item teve valor máximo fixado em R$ 1,27. A diferença, segundo a SMSA, consistia basicamente na opção de se comprar escovas com cabo emborrachado, de modo a despertar nos usuários da rede de saúde um atrativo para que eles retirassem esse produto no posto, pois as antigas escovinhas, que eram mais simplezinhas, estavam ficando encalhadas.

Pois bem, a licitação foi aberta na quarta-feira, 19 de março, e as escovas de dente saíram bem mais barato do que inicialmente se previa. O lote foi arrematado pela empresa D&D Produtos de Higiene e Limpeza, do Rio de Janeiro, que se propôs a fornecê-las, com cabo emborrachado e tudo, por R$ 1,42 cada. Exatamente: menos da metade do preço máximo estimado.

“Conseguimos um preço muito bom, bem abaixo, inclusive, do que o pago pela Prefeitura de Curitiba por essas escovas com cabo emborrachado”, explicou o diretor financeiro da SMSA, Erci Kwiatkowski. Ainda conforme ele, como os produtos foram comprados por meio de uma licitação tipo registro de preços, onde a Prefeitura não necessariamente é obrigada a comprar todas as cinquenta mil unidades licitadas, as escovas apresentadas pelo fornecedor a título de amostra ficarão armazenadas no almoxarifado da Secretaria de Saúde. “Assim, sempre que solicitarmos certa quantidade de escovas, o nosso almoxarifado poderá conferi-las com as amostras para confirmar se o produto que estamos recebendo é o mesmo apresentado pelo fornecedor quando da licitação”, explicou.

Economia
O deságio obtido pela Secretaria de Saúde na compra das escovas pode representar uma economia de até R$ 114 mil para os cofres públicos. Isso, claro, se a Prefeitura acabar ficando com as cinquenta mil unidades licitadas. Para chegar a esse número, a conta é simples: o preço máximo estimado era de R$ 3,70, valor que multiplicado por cinquenta mil resulta em R$ 185 mil. Porém, pelo valor conseguido no certame, que foi de R$ 1,42, a multiplicação alcança R$ 71 mil. “Apesar dos questionamentos iniciais, o importante mesmo é que conseguimos comprar um produto de melhor qualidade por um preço bem em conta. Quem ganha com isso é a população”, resumiu o secretário de Saúde, Claudio Bednarczuk.
 

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*