Início / Colunas / Esperança!

Esperança!


Dia desses comentava com um conhecido sobre o meu sonho de – um dia – ver Araucária livre de certos políticos locais, que utilizam o público como se fosse privado, que se acham donos da cidade, que ao alcançar o poder se dedicam a perseguir quem não deveriam perseguir e a sacanear quem não deveria ser sacaneado.

Diante do comentário, meu interlocutor deu-me o seguinte conselho: “Waldiclei, não busque vingança, não faça do ódio a sua motivação!”. Agradeci ao conselho, mas informei que ele estava equivocado com relação às minhas motivações. Ora, o que me motiva não é o ódio e nem a vingança. Muito pelo contrário, a minha motivação é a esperança em dias melhores. Não tenho ódio e nem desejo de me vingar de ninguém. Sentimentos tão ruins, tão negativos não têm espaço em meu coração e, muito menos, em minha cabeça.

Sou muito jovem para ficar alimentando rancor por este ou aquele sujeito. No entanto, minha tenra idade não me obriga a ter que aceitar que sejam injustos comigo, que agridam minha honra (sim, honra… graças a Deus eu tenho). Também não posso aceitar que tentem me comprar oferecendo vantagenzinhas pagas com dinheiro público (dinheiro nosso) e que ainda tenham a pachorra de me dizer que “estenderam-me a mão”. Às favas com essas mãos sujas que um dia tentaram estender em minha direção.

Gostaria – sinceramente – de parar com as críticas aos nossos gestores públicos. Gostaria – deverás – de parar de apontar erros. Queria, como diria um sábio senhor com quem tive o prazer de trabalhar na Prefeitura, “parar com essas bobagens de ficar comprando brigas”. Mas, como eu poderia amigos leitores? Na semana passada, por exemplo, acompanhei a inauguração do que a Prefeitura vendeu à população com uma nova unidade de Saúde no jardim Alvorada.

Ora, a “nova unidade” é um imóvel de 142 metros quadrados locado por R$ 1.600 mensais. A casa tem cinco peças e, antes de ser alugada para a Secretaria de Saúde, deveriam morar ali, no máximo, seis pessoas. Agora, a Prefeitura transformou o que era – talvez – a cozinha daquele recinto numa recepção. A sala na farmácia e os três quartos em dois consultórios e uma sala de avaliação. De quebra, o secretário de Saúde ainda anunciou que a edícula que fica na parte de trás do terreno e que, possivelmente, a família que morava ali utilizava para pendurar roupa e assar uma carninha nos finais de semana, será transformada num consultório odontológico. Peraí, leitores! Aquilo não é nova unidade de saúde nem aqui e nem em Contenda. Male má poderia admitir-se tamanha improvisação se Araucária fosse uma cidade sem um orçamento gigantesco, como é o caso de Contenda. Como esta não é a nossa realidade, a improvisação feita naquela casa do jardim Alvorada não passa de incompetência de quem administra esta cidade. E isto, nós não podemos deixar de denunciar. Até porque eu sigo esperançoso que as coisas vão melhorar… um dia!

E você, amigo leitor, o que pensa sobre o assunto. Dê sua opinião e até semana que vem!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*